Início
/
Institucional

Institucional



Serviço de Auditoria Interna

Ao Serviço de Auditoria Interna compete a avaliação dos processos de controlo interno e de gestão de riscos, nos domínios contabilístico, financeiro, operacional, informático e de recursos humanos, contribuindo para o seu aperfeiçoamento continuo.

Responsável: Dra. Maria de Lurdes Teixeira Pires Mota

Contactos:  lteixeira@ulscb.min-saude.pt

Documentos



Relatórios Trimestrais de Execução Orçamental
Relatórios 2021
1º Trimestre 2021 ULS
Relatórios 2020
1º Trimestre 2020 ULS 1º Trimestre 2020 Conselho Fiscal
2º Trimestre 2020 ULS 2º Trimestre 2020 Conselho Fiscal
3º Trimestre 2020 ULS 1º Trimestre 2020 ROC
4º Trimestre 2020 ULS 2º Trimestre 2020 ROC
3º Trimestre 2020 ROC
3º Trimestre 2020 Conselho Fiscal
4º Trimestre 2020 Conselho Fiscal e ROC
Relatórios 2019
1º trimestre 2019 ULS 1º trimestre 2019 Conselho Fiscal e ROC
2º trimestre 2019 ULS 2º trimestre 2019 Conselho Fiscal e ROC
3º trimestre 2019 ULS 3º Trimestre 2019 Conselho Fiscal e ROC
4º trimestre 2019 ULS 4º Trimestre 2019 Conselho Fiscal
4º Trimestre 2019 ROC
Relatórios 2018
 1º trimestre 2018 ULS 1º trimestre 2018 ROC
2º trimestre 2018 ULS 2º trimestre 2018 Conselho Fiscal
3º trimestre 2018 ULS 3º Trimestre 2018 Conselho Fiscal
4º trimestre 2018 ULS 4º Trimestre 2018 Conselho Fiscal
4º Trimestre 2018 ROC
Relatórios 2017
1º trimestre 2017 ULS  1º trimestre 2017 ROC
 2º trimestre 2017 ULS  2º trimestre 2017 ROC
 3º trimestre 2017 ULS  3º trimestre 2017 ROC
4º trimestre 2017 ULS 4º trimestre 2017 ROC
Relatórios 2016
1º trimestre 2016 ULS  1º trimestre 2016 ROC
 2º trimestre 2016 ULS  2º trimestre 2016 ROC
 3º trimestre 2016 ULS 3º trimestre 2016 ROC
 4º trimestre 2016 ULS  4º trimestre 2016 ROC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Relatórios 2015
 1º trimestre 2015 ULS  1º trimestre 2015 ROC
 2º trimestre 2015 ULS  2º trimestre 2015 ROC
 3º trimestre 2015 ULS  3º trimestre 2015 ROC
 4º trimestre 2015 ULS  4º trimestre 2015 ROC
Relatórios 2014
 1º trimestre 2014 ULS  1º trimestre 2014 ROC
 2º trimestre 2014 ULS  2º trimestre 2014 ROC
 3º trimestre 2014 ULS  3º trimestre 2014 ROC
 4º trimestre 2014 ULS  4º trimestre 2014 ROC
Relatórios 2013
 1º trimestre 2013 ULS  1º trimestre 2013 ROC
 2º trimestre 2013 ULS  2º trimestre 2013 ROC
 3º trimestre 2013 ULS  3º trimestre 2013 ROC
 4º trimestre 2013 ULS  4º trimestre 2013 ROC

Conferência de facturas

Informação:

De acordo com o esclarecimento obtido junto da Unidade de Gestão do Centro de Conferência de Faturas, as requisições que contemplem mais do que um tratamento (por ex. fisioterapia), desde que a última prestação tenha ocorrido em janeiro de 2014, deverão ser remetidas para o CCF.

ULSCB, 05/02/2014

De acordo com a confirmação obtida junto de alguns laboratórios, a situação abaixo descrita já se encontrará resolvida. Caso se mantenha em relação à vossa entidade, queiram informar-nos. Obrigado.

ULSCB 27/01/2014

As convenções de âmbito nacional e regional estão atualmente em nome da ARS do Centro.
Contudo, todas as requisições que sejam emitidas em estabelecimento de saúde da área de influência da ULSCB (DL 318/2009 de 02/11, excluindo Mação), são da nossa responsabilidade financeira.
Pelo que questionámos o CCF e a ARS Centro sobre esta questão, até porque a informação que temos recebido é que os códigos correspondentes à ARSCentro não poderão ser utilizados por vós para nos faturarem, pelo que estamos a aguardar orientações sobre esta matéria e logo que tenhamos uma resposta informaremos neste espaço. Obrigado.

Para qualquer informação adicional, contactar: jlourenco@ulscb.min-saude.pt ou pelo telefone 272 000 159.

ULSCB 21/01/2014





Orçamentos, Contratos Programa e Planos de Desempenho

Ano 2021

Ano 2020

Ano 2019

Ano 2018

Ano 2017

Ano 2016

Ano 2015

Ano 2014

Ano 2013

Ano 2012

Ano 2011


Relatório e Contas, CLC e Relatório do Governo Societário

Prestação de Contas 2020

Prestação de Contas 2019

Prestação de Contas 2018

Prestação de Contas 2017

Prestação de Contas 2016

Prestação de Contas 2015

Prestação de Contas 2014

Prestação de Contas 2013

Prestação de Contas 2012

Prestação de Contas 2011

Prestação de Contas 2010


Qualidade
Gabinete da Qualidade

O Gabinete da Qualidade tem como objectivo desenvolver actividades de avaliação e de promoção de uma cultura institucional interna de garantia da qualidade, de acordo com as orientações dos orgãos de gestão da ULSCB.

Compete ao Gabinete da Qualidade:

  • Colaborar com o Conselho de Administração na definição da política da qualidade;
  • Coordenar e dinamizar actividades, no âmbito da qualidade, que visem a sua melhoria continua, tendo em vista a qualidade total;
  • Participar na elaboração de estratégia de gestão de risco no âmbito da Comissão de Qualidade e Segurança do Doente;
  • Promover a realização de estudos de avaliação da satisfação dos stackholders, monitorizar a aplicação dos mesmos, tratar os dados recolhidos e propor acções preventivas e correctivas a desenvolver, acompanhando a respectiva implementação;
  • Fomentar e acompanhar a realização de auditorias internas da qualidade;
  • Assegurar, no âmbito da qualidade, a organização e logística de reuniões, auditorias externas e internas;
  • Promover  a participação de todos os profissionais no processo de melhoria continua da qualidade;
  • Acompanhar e apoiar os processos de acreditação e certificação de Serviços, que o Conselho de Administração entenda submeter;
  • Promover o cumprimento das disposições legais regulamentares aplicáveis no âmbito da qualidade;
  • Normalizar, divulgar e controlar a documentação produzida na instituição de acordo com as regras aprovadas, no âmbito da política da qualidade.

Responsável: Dr. Manuel Lourenço Nunes – email: malnunes@ulscb.min-saude.pt

Gestora Qualidade: Eng. Andreia Cristina Minhós Barata Gil – email: acgil@ulscb.min-saude.pt

Email geral: gabinete.qualidade@ulscb.min-saude.pt

A ULS de Castelo Branco, aplica os critérios presentes nos modelos de Acreditação:

  • Acreditação do Serviço de Gastrenterologia, pelo Modelo ACSA
    • Acreditado pela DGS, Nível Bom
  • Acreditação do Serviço de Nefrologia, pelo Modelo ACSA
    • Acreditado pela DGS, Nível Bom
  • Acreditação do Serviço de Pediatria, pelo Modelo ACSA
    • Acreditado pela DGS, Nível Bom
  • Acreditação do Serviço de Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente, pelo Modelo ACSA
    • Acreditado pela DGS, Nível Bom
  • Acreditação do Serviço de Medicina Interna, pelo Modelo ACSA
    • Acreditado pela DGS, Nível Bom
  • Acreditação do Serviço de Urologia, pelo Modelo ACSA
    • Acreditado pela DGS, Nível Bom
  • Acreditação dos Serviços Farmacêuticos, pelo Modelo ACSA
    • Acreditação pela DGS, Nível Bom

Conselho Consultivo

O Conselho Consultivo é o órgão de consulta da USCB, EPE, sendo a composição, competências e o modo de funcionamento descritos nos Artigos 21º a 23º, dos Estatutos, anexos ao DL nº 18/2017, de 10 de fevereiro.

Documentos:


Órgão de Fiscalização: Conselho Fiscal e ROC

O Conselho Fiscal da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco foi nomeado para o mandato 2018-2020 através de Despacho Conjunto Finanças e Saúde de 26/04/2018.

A sua composição é a seguinte:

Presidente

        Maria de Fátima Pereira Ruivo Duarte Coelho

Vogal

        Dário Alexandre André Falcão

Vogal

        Luísa Maria Teixeira Pisco

Vogal       Suplente

        Eduardo José Santos Clemente

Quanto ao Revisor Oficial de Contas (ROC), foi nomeada, através do despacho de 25/09/2019 do SET e da SES, sob proposta do Conselho Fiscal, a sociedade BDO & Associados, SROC, Lda, inscrita na OROC sob o n.º 29 e registada na CMVM sob o n.º 20161384, representada por Paulo Jorge de Sousa Ferreira, ROC n.º 781.


Princípios do Bom Governo

Identificação dos órgãos sociais, das áreas de responsabilidade do CA e remuneração

Esta informação poderá ser consultada no Relatório e Contas e no Relatório de Governo Societário elaborados anualmente e divulgados nesta página.

Identificação dos sistemas de controlo de riscos

Regulamentos

Plano para a Igualdade de Género e Não Discriminação

Plano de Prevenção de Riscos de Corrupção e Infrações Conexas

Transações fora das condições de mercado e Transações relevantes com entidades relacionadas

Análise da sustentabilidade económica, social e ambiental

Orientações de Gestão


Organograma

Consulte aqui: Organograma



MISSÃO, VISÃO E VALORES

Missão

Promoção da saúde, prevenção da doença e prestação de cuidados de saúde diferenciados / especializados, de forma abrangente, personalizada e integrada, em tempo útil com qualidade e equidade, dando execução às políticas superiormente definidas e aos respetivos planos estratégicos, tendo sempre em conta a respetiva adaptabilidade às necessidades regionais e locais. Participar na formação de novos profissionais de saúde e atualizar os conhecimentos daqueles que se encontram em funções nas várias instituições e serviços. Desenvolver direta ou indiretamente projetos de investigação clínica e científica.

Visão

A ULSCB, EPE tem por visão comunidades saudáveis, num ambiente saudável, sustentadas através de ações de promoção da saúde, prevenção,tratamento e recuperação da doença, atentos que sejam os padrões de qualidade e de excelência, numa lógica de proximidade.

  • Valores Integridade – Honestidade e ética presentes em cada ação. Total cumprimento do que se promete. Preservação da integridade científica e da excelência profissional.
  • Liderança – Capacidade de congregar vontades e inteligências orientadas de forma clara para a concretização de projetos.
  • Humanização – Respeito pelo Ser Humano e pela dignidade individual de cada pessoa.
  • Cidadania – Direitos e deveres. Responsabilidade na ação. Solidariedade social.
  • Reconhecimento – cada pessoa como um membro pleno e igual da sociedade, com direito de participar ativamente na construção de um futuro comum.
  • Disciplina – Forte sentimento de interesse, de honra e respeito, de autocontrolo e determinação.
  • Qualidade total – Abrangência das cinco dimensões da qualidade, que afetam a satisfação das necessidades das pessoas: qualidade intrínseca, custo ou preço, atendimento ou prazo, moral ou ética, segurança do utente e dos prestadores.
  • Multidisciplinaridade – O paciente, utente ou cliente, é um Ser Humano, que possui várias dimensões: a biológica, a psíquica, a social, a afetiva e a racional, entre outras, que perfazem o seu todo. Assim, para que se dispense um bom atendimento é necessário o domínio de várias disciplinas, de uma ou de diferentes áreas do saber. O procedimento multidisciplinar reflete uma preocupação maior com a saúde integral do indivíduo e resulta num tratamento mais eficaz.
  • Investigação – Suporte do conhecimento, da inovação, da transformação.
  • Respeito pelo ambiente – O ambiente constitui um dos pilares determinantes da saúde, pelo que o respeito que por ele se tiver, repercutir-se-á na saúde das populações.
  • Termos Contratuais da Prestação de Serviço Público A prestação do serviço público, em termos quantitativos e qualitativos é definida anualmente mediante a celebração de um Contrato-Programa com a Administração Central do Sistema de Saúde, I.P. (ACSS) e a Administração Regional de Saúde do Centro, I.P. (ARSC).
  • Modelo de Financiamento Subjacente à Prestação de Serviço Público Nos termos estabelecidos no Contrato-Programa. Tem por base um valor capitacional, atendendo às características da população abrangida, adicionado do valor a pagar pelo internato médico e vários programas verticais estando sujeito a incentivos e penalizações em função do cumprimento das metas estabelecidas.