Início
/
Serviços

Serviços


Unidade Recursos Assistencial Partilhados - URAP (ACESPIS)
URAP Pinhal Interior Sul – Proença-a-Nova (Sede)
Praceta Frei Rodrigo Egídio, Apartado 42 – 6150-522 Proença-a-Nova
Horário de Funcionamento
2ªF e 4ªF: 09:00 às 18:00
6ªF: 09:00 às 13:00 | 14:00 às 18:00
Telefone: 272 680 160
Email: urap.oleiros@ulscb.min-saude.pt

URAP Pinhal Interior Sul – Polo Sertã
Av. Padre Manuel Antunes, 2  – 6100-601 Sertã
Horário de Funcionamento
2ªF, 4ªF e 6ªF: 08:00 às 17:30
3ªF: 08:00 às 13:00 | 14:00 às 18:00
5ªF: 08:00 às 18:00
Telefone: 274 600 800
Email: csserta@ulscb.min-saude.pt


URAP Pinhal Interior Sul – Polo Oleiros
Rua São Sebastião  – 6185-301 Orvalho
Horário de Funcionamento
3ªF: 09:00 às 17:00
2ªF, 4ªF, 5ªF, 6ªF
Telefone: 272 746 133
Email: csoleiros@ulscb.min-saude.pt

Comissão de Humanização

A humanização em saúde significa respeito, conforto e centra a prestação de cuidados de saúde nas pessoas – utentes, familiares/cuidadores e profissionais de saúde – boas práticas quotidianas das instituições de saúde.

Tem por objetivo implementar projetos dedicados ao reforço da humanização e que se centrem nas pessoas, garantam o bom relacionamento interpessoal e interprofissional e o respeito por valores humanos.

Constituição da Comissão de Humanização da ULSCB, EPE:

  • Carlos Almeida – Vogal Executivo e Enfermeiro Diretor do Conselho de Administração
  • Ana Paula Roque – Farmacêutica
  • António Vicente – Técnico Superior de Serviço Social
  • Cláudia Sanches – Medicina Geral e Familiar
  • João Carlos Oliveira – Administrador Hospitalar – Área Gestão de Doentes
  • João Roque – Enfermeiro Especialista de Saúde Mental e Psiquiatria
  • José Valdemar – Comissão da Qualidade e da Segurança do Doente
  • Leonel Grencho – Enfermeiro dos Cuidados Hospitalares
  • Nuno Folgado – Sacerdote da Capelania Hospitalar
  • Sara Sintra – Assistente Medicina Interna
  • Valentina Gonçalves – Enfermeira dos Cuidados Saúde Primários

Contacto: comissão.humanizacao@ulscb.min-saude.pt

A Comissão de Humanização rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Documentos:



Serviço de Psicologia Clínica

COORDENAÇÃO – DRA. PATRÍCIA CARLA LUCAS GASPAR BERNARDO
CONTATOS – 272 000 272 – ext – 2400

Com a implementação de medidas definidas  no Despacho nº. 11347, de 2017-12-27 – DRE, no âmbito da organização e funcionamento da Psicologia Clínica e da Saúde no Serviço Nacional de Saúde e de acordo com o Conselho de Administração da ULSCB, o Serviço de Psicologia Clínica da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, tal como outros, foi dotado de autonomia funcional, técnica e científica.

A Psicologia Clínica tem como objetivo o estudo, a avaliação, o diagnóstico, a ajuda e o tratamento do sofrimento psíquico, seja qual for a causa subjacente.

COMPETÊNCIAS DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA
É da competência do Serviço de Psicologia da ULSCB e são funções do psicólogo clínico:

  • Identificar prevenir e tratar problemas psicológicos nos indivíduos e nos grupos
  • A avaliação psicológica de indivíduos e elaboração de psicodiagnósticos;
  • A avaliação psicológica de grupos populacionais determinados, para fins de prevenção e tratamento;
  • Intervenção psicológica individual, conjugal, familiar e de grupos;
  • Avaliar  a qualidade e eficácia das intervenções adotadas;
  • Colaborar no desenvolvimento de metodologias de investigação na área da saúde e no aperfeiçoamento e criação de novos instrumentos de avaliação.
  • Avaliações para fins médico-legais.

Compete ainda ao Psicólogo clínico :

  • Integrado numa equipe multidisciplinar participar em reuniões de formação, clínicas e comunitárias;
  • Apoiar e dar resposta a todas as solicitações de diferentes especialidades médicas que existem na ULSCB.

Em termos de recursos humanos, atualmente, a Psicologia dispõe de uma equipa própria de 8 psicólogos e em termos hierárquicos, todos os psicólogos dependem da Coordenação, independentemente de onde exerçam a sua atividade e em última instância dependem da Direção Clínica e desenvolvem a sua atividade em articulação não só com os ACES, mas com os restantes serviços hospitalares e demais especialidades (médicas e não médicas), numa perspetiva de cuidados de saúde integrados.

PROFISSIONAIS:
No Serviço Psicologia (população utente adulta)

  • Dra. Patrícia Bernardo
  • Dra. Joana Carvalho
  • Dra. Raquel Guimarães

NA CONSULTA DE DESENVOLVIMENTO (população utente dos 0-18 anos)

  • Dra Cristina Santos
  • Dra Maria José Mira

NOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS (ciclo de vida)

  • ACES-BIS – Dr. Nuno Marques Mendes
  • ACES-PIS – Dra Cláudia Dias

NA EQUIPA COMUNITÁRIA DE SAÚDE MENTAL – ADULTOS

  • Liliana Vieira

Em termos de localização física o nosso Serviço divide espaço físico no mesmo bloco com o Serviço de Psiquiatria e esta estreita proximidade permite-nos vários projetos em comum e claro, a partilha de população-utente, nomeadamente, um trabalho de maior proximidade com o Internamento geral de Psiquiatria e o Hospital de Dia da mesma valência, onde apoio psicológico em setting diferente da consulta, a psicoeducação e os grupos terapêuticos diferenciados são atividades desenvolvidas.

ÁREAS DE INTERVENÇÃO

AMBULATÓRIO

  • Consultas de Psicologia Geral
  • Consultas de Psicologia de Ligação
  • Apoio Psicológico às consultas da Dor, Cuidados Paliativos (EIHCP), apoio ao Luto e da Diabetes.
  • Consulta de Saúde Mental no Trabalho

INTERNAMENTO

– Psicologia de Ligação – compete apoiar e dar resposta a todas as solicitações de diferentes especialidades médicas que existem na ULSCB.

OUTRAS ÁREAS DE INTERVENÇÃO

  • Núcleos de Apoio a Crianças e Jovens em Risco e Equipas de Prevenção da Violência no Adulto (hospitalar e dos CSP)
  • Plano de Prevenção da Violência no setor da Saúde (Pontos focais institucionais
  • Grupo de Apoio à Crise
  • Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (3 psicólogos representantes da saúde nas CPCJ de Castelo Branco, Proença-a-Nova e Idanha-a-Nova, V. V Rodão)
  • SNIPI
  • Consulta de Apoio Pais
  • Consultas Multidisciplinares da Disfunção Alimentar e da Adolescência.

Folhetos Informativos:


Comissão de Aleitamento Materno

A Comissão de Aleitamento Materno da ULSCB, é um órgão de apoio técnico da ULS, dotado de autonomia técnica e que tem por atribuição contribuir para a Proteção, Promoção e Apoio ao Aleitamento, nomeada conforme a Circular Informativa N.º 86, de 24 de agosto de 2023, por despacho do Conselho de Administração.

É composta por profissionais de saúde da área de saúde materna / infantil da ULSCB, tem na sua estrutura a representação de todos os serviços no âmbito dos cuidados de saúde hospitalares e dos cuidados de saúde primários. Desejamos assegurar e procurar dar passos de modo a que todas as instituições que prestam serviços nestas áreas, pratiquem plenamente e a totalidade da Declaração dos «Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno»:

  1. Ter uma política de aleitamento materno escrita e afixada que seja rotineiramente transmitida a toda a equipa de cuidados de saúde;
  2. Formar toda a equipa capacitando-a para a implementação da norma;
  3. Informar todas as grávidas sobre as vantagens e a prática do aleitamento materno;
  4. Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira hora após o nascimento do bebé;
  5. Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação mesmo que tenham de ser separadas dos filhos temporariamente;
  6. Não oferecer aos recém-nascidos bebidas ou alimentos que não sejam o leite materno, a não ser que exista indicação médica;
  7. Permitir que as mães e bebés permaneçam juntos 24 horas por dia;
  8. Incentivar o aleitamento materno a pedido;
  9. Não oferecer tetinas ou chupetas às crianças amamentadas;
  10. Encorajar a criação de grupos de apoio ao aleitamento materno encaminhando as mães para estes, após a alta do hospital ou maternidade.

(No âmbito da Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés, iniciativa da Organização Mundial da Saúde / UNICEF)

Direção da Comissão

  • Presidente – Enf. Luís Bento
  • Vice-Presidente – Dra. Ana Gabriela Almeida

Comissão Executiva

  • Direção – Enf. Luís Bento / Dra. Ana Gabriela Almeida
  • Área Hospitalar – Dr. Humberto Tomé / Enf. Mónica Belo
  • Área Cuidados de Saúde Primários – Dr. José Pires / Enf. Iria Fernandes

Comissão Alargada

Área Hospitalar

  • Enf. Luísa Maria de Deus
  • Enf. Sofia Corrente
  • Enf. Maria Celeste Nunes
  • Enf. Liliana Afonso
  • Enf. Maria Teresa Pinheiro
  • Enf. Umbelina Lourenço
  • Enf. Elda Riscado

Área Cuidados de saúde Primários

  • Enf. Barbara Rebelo
  • Enf. Maria Rosa Quaresma
  • Enf. Ana Catarina Alberto

Contatos – cam@ulscb.min-saude.pt

Folhetos:

Links úteis:


Comissão de Qualidade e Segurança do Doente

É um órgão de apoio técnico ao Conselho de Administração, constituída por uma equipa multidisciplinar, oriunda de vários sectores da ULS, tendo como objectivo a promoção da qualidade e a gestão do risco, na a vertente do risco clínico, e na do risco geral, visando sempre a segurança do doente, a quem se devem prestar os necessários cuidados de saúde, de forma integrada.

A Comissão de Qualidade e Segurança do Doente rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Constituição da Comissão:

  • Dra. Maria Eugénia Monteiro André – PRESIDENTE
  • Dr. Manuel Lourenço Nunes
  • Eng. Andreia Cristina Minhós Barata Gil
  • Dra. Sandra Isabel Silva Queimado
  • Dra. Maria Lurdes Teixeira Pires Mota
  • Eng. Bruno Roberto Pires Carrulo
  • Dra. Mariana Teresa Cheira Martins
  • Dra. Maria Margarida Lemos Viana Esteves Mendes Santos
  • Eng. António Manuel dos Santos Alves
  • Arq. João José Jorge Pires
  • Eng. Pedro Jorge Inglês Anjos
  • Dra. Marta Fazendeiro
  • Enf. Maria Lourdes Lourenço reis
  • Enf. José Valdemar silva Rodrigues
  • Enf. Leonel Martins Grencho
  • Enf. Nelson Serrano Antunes
  • Enf. Fernanda Maria Ribeiro João Silva Paisana
  • Enf. Marta Maria Lourenço Pinheiro Macedo

Direção de Enfermagem

A Direção de Enfermagem prosseguirá as atribuições de apoio à definição das políticas da ULSCB, EPE e prestação de cuidados de enfermagem.


Comissão de Coordenação Clínica

À Comissão de Coordenação Clínica compete:

Promover uma integração adequada da actividade médica;
Propor orientações clínicas relativas à prescrição de medicamentos e meios complementares de diagnóstico e terapêutica, bem como os protocolos clínicos adequados às patologias mais frequentes.


Comissão de Coordenação Oncológica

À Comissão de Coordenação Oncológica compete:

Organizar as consultas de grupo multidisciplinares, com o objectivo de analisar e definir a estratégia de diagnóstico e terapêutica relativa a casos clínicos oncológicos, estabelecendo normas para o seu funcionamento;
Promover a referenciação entre cuidados de saúde primário, hospitalares e paliativos;
Aprovar protocolos de actuação diagnóstica e terapêutica dos diversos tipos de doença oncológica;
Emitir parecer sobre a estrutura e protocolos da ULS, no âmbito da oncologia;
Garantir a actualização da informação no registo oncológico nacional;
Promover a organização de campanhas de prevenção e rastreio do cancro.

A Comissão de Coordenação Oncológica rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

 


Unidade Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos - UL_PPCIRA

Ao UL-PPCIRA compete promover a execução das estratégias consignadas no Programa Nacional de Controlo de Infecção (PNCI), designadamente implementar o Plano Operacional de Prevenção e Controlo de Infeção da ULS.

A Comissão rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu Regulamento Interno.

Diretor Médico – Dra. Mariana Cheira Martins

Enfermeira com funções de Gestão – Enf. Maria Lourdes Reis

Contatos


Comissão Paritária

A Comissão Paritária rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

 


Comissão de Prevenção e Tratamento de Feridas

As Feridas Agudas são feridas de fácil resolução se não se desviarem do processo de cicatrização fisiológico, pelo que, não justificam regulamentação em especial.

As Feridas Crónicas atualmente designadas por feridas de difícil cicatrização são lesões com perda total da espessura da pele e que não cicatrizam após 4-6 semanas com terapêutica corretamente dirigida. Neste âmbito inserimos as ostomias pela sua cronicidade e continuidade de cuidados que implicam. Ambas são uma importante causa de morbilidade com implicações negativas na qualidade de vida do doente e família, associadas a elevados custos para os sistemas de saúde em todo o mundo. Pela sua elevada complexidade e pela dificuldade muitas vezes sentida pelas equipas de cuidados na abordagem a este tipo de utentes, foi criada a presente Comissão de Prevenção e Tratamento de Feridas (CPTF).

O que é a CPTFeridas?
Trata-se de um Grupo institucional da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) que dedica a sua atenção à prevenção e tratamento de Feridas de difícil cicatrização e cuidados aos doentes ostomizados.

Objetivos:
– Implementar normas de procedimento de modo a uniformizar, a prevenção e tratamento de Feridas na ULSCB;
– Promover a formação dos prestadores de cuidados na prevenção e tratamento de Feridas de difícil cicatrização;
– Implementar sistemas de avaliação do risco de aparecimento de Feridas de difícil cicatrização;
– Elaborar guias de boas práticas, de modo a uniformizar procedimentos e reduzir custos na perspetiva da continuidade de cuidados atendendo às guidelines mais recentes;
– Implementar um sistema de avaliação sistemática das Feridas de difícil cicatrização no âmbito de todas as Unidades de Prestação de Cuidados;
–  Divulgar estado da arte no tratamento e prevenção da ferida crónica, em colaboração com os serviços farmacêuticos, permitindo a padronização dos novos apósitos;
–  Promover a investigação clínica e epidemiológica relacionada com a prevenção e tratamento de Feridas de difícil cicatrização.

Equipa:
Presidente da Comissão – Dra. Aida Paulino (Serviço de Cirurgia Geral).

Membros
Enfª Isabel Costa (Serviço de Cirurgia Geral)
Enfª Teresa Silva (Serviço de  Ortopedia)
Enfª Otília Courela (Serviço de Consulta Externa)
Enfª Alexandra Alves (Serviço de Consulta Externa)
Enfª Ana Monteiro (Serviço de Cirurgia Geral)
Enfª Maria Conceição Pires (UCSP Alcains)
Dra. Sara Correia (Serviço de Cirurgia Geral)
Dra. Maria Carmo Gonçalves (Serviço de Farmácia)
Dra. Maria José Camba (Serviço de Farmácia)

Contacto:
cptferidas@ulscb.min-saude.pt
Documentos:
Regulamento Interno


Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos - CCDOT

A MISSÃO

A CCDOT tem como objetivo principal a promoção da doação altruísta, com consequente contributo de órgãos e tecidos para transplante.

A sua missão centra-se na identificação, referenciação e manutenção do potencial dador de órgãos e tecidos, respeitando valores fundamentais como o altruísmo, a ética, a humanização, a transparência, a equidade e a centralidade do doente, focalizados na competência técnica e científica, no valor intrínseco da vida e no interesse público.

A ORGÂNICA DA CCDOT

Respeitando a legislação e as orientações superiores da tutela, a CCDOT tem, na figura do Coordenador Hospitalar, o seu principal representante e responsável máximo, em todos os momentos relacionados com a doação de órgãos e tecidos, formação de profissionais e programas de melhoria continua da qualidade.

A Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos (CCDOT)UCIP: 2200Email; ccdot@ulscb.min-saude.pt

Coordenadora Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos

Dra. Nulita Lourenço – UCIP: 2200 – Telm: 962 448 267

Email: nulitalourenco@gmail.com

Em caso de ausência/não disponibilidade

Responsável: médico de escala à UCIP

UCIP: 2200

Enfermeiro Coordenador Hospitalar de Doação de Orgãos e Tecidos

POTENCIAL DADOR: O QUE FAZER

O diagnóstico de um doente com uma lesão catastrófica do cérebro e um Glasgow ≤5, deverá ser obrigatoriamente comunicada à Coordenação da CCDOT, através dos contatos referenciados, incluindo o registo do doente no formulário online, disponível na intranet da ULSCB, separador: “Médico Hospitalar” – “Referenciação Doação de Órgãos”. Também está disponível para consulta na página da Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos, separadores “Protocolos” e “Formulários” toda a documentação de apoio à prática clínica.

LINK’S ÚTEIS

Está disponível na página do IPST, para consulta e impressão, variada documentação e legislação sobre Doação e Transplantação de Órgãos e Tecidos:

Página da Coordenação Nacional: http://ipst.pt/index.php/cnt

Página sobre Legislação: http://ipst.pt/index.php/informacao-documentacao/id-legislacao/leg-nacional?showall=&start=2


Comissão de Saúde Materna, da Criança e do Adolescente

A Comissão da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente tem por objectivo promover a prestação de cuidados de saúde materna e neonatal e de saúde da criança e do adolescente.

A Comissão da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente é composta por duas subunidades:

Saúde Materna e Neonatal
Saúde da Criança e do Adolescente.

À Comissão da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente compete:

Fazer um levantamento regular das necessidades;
Promover a cooperação entre profissionais e a articulação de serviços;
Fomentar a celebração e implementação de protocolos;
Impulsionar a monitorização e avaliação de indicadores;
Colaborar com o Conselho de Administração na resolução de problemas;
Promover a investigação, formação e ensino da respectiva área;
Fomentar a utilização e preenchimento sistemáticos dos suportes de comunicação.

A Comissão rege-se pelo previsto no seu regulamento interno.


Comissão de Farmácia e Terapêutica

Compete à Comissão de Farmácia e Terapêutica:

  • Atuar como órgão de ligação entre os Serviços e Unidades Funcionais de prestação de cuidados e o Serviço Farmacêutico;
  • Elaborar as adendas privativas de aditamento ou exclusão ao Formulário Hospitalar Nacional de Medicamentos;
  • Emitir pareceres e relatórios, acerca de todos os medicamentos a incluir ou a excluir no Formulário Hospitalar Nacional de Medicamentos, que serão enviados trimestralmente ao INFARMED;
  • Velar pelo cumprimento do Formulário Hospitalar Nacional de Medicamentos e suas adendas;
  • Pronunciar-se sobre a correção da terapêutica prescrita aos doentes, quando solicitado pelo seu Presidente e sem quebra das normas deontológicas;
  • Apreciar com cada Serviço ou Unidade de prestação de cuidados os custos da terapêutica que periodicamente lhe são submetidas, após emissão de parecer obrigatório pelo Diretor do Serviço Farmacêutico;
  • Elaborar, observando parecer de custos, a emitir pelo Diretor do Serviço Farmacêutico, a lista de medicamentos de urgência que devem existir nos Serviços ou Unidades Funcionais de prestação de cuidados;
  • Propor o que tiver por conveniente dentro das matérias da sua competência.

A Comissão de Farmácia e Terapêutica rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Declarações de Inexistência de Incompatibilidades da Comissão de Farmácia e Terapêutica


Comissão de Ética

A Comissão de Ética da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) é um órgão consultivo, de apoio técnico ao Conselho de Administração, multidisciplinar e independente, cuja atividade se rege de acordo com o previsto pelas disposições legais decorrentes do Decreto-Lei n.º 97/95 de 10 de Maio, em observância do disposto na Lei n.º 46/2004 de 19 de agosto, referente aos ensaios clínicos de medicamentos de uso humano, e do disposto no Decreto-Lei n.º 102/2007, de 2 de Abril, referente aos princípios das boas práticas clínicas no que respeita aos medicamentos experimentais para uso humano..

Atribuições

  • Promover a divulgação dos princípios gerais da bioética pelos meios julgados adequados, designadamente através de estudos, pareceres, conferências no âmbito dos profissionais de saúde da ULSCB ou de outras Instituições.
  • Emitir pareceres sobre questões éticas e bioéticas no domínio de atividade da ULSCB.
  • Zelar pela observância de padrões de ética que devem ser respeitados no exercício das ciências médicas, por forma a proteger e garantir o respeito pela dignidade e integridade da pessoa humana e seus direitos fundamentais. Para tal, deve proceder à análise e reflexão sobre temas da prestação de cuidados de saúde que envolvem questões de ética e bioética.
  • Pronunciar-se sobre os protocolos de investigação científica celebrados no âmbito da ULSCB, nomeadamente os que se refiram a ensaios de diagnóstico ou terapêutica e técnicas experimentais que envolvam seres humanos e seus produtos biológicos.
  • Articular-se com Comissões de Ética de outras Instituições no sentido da complementaridade do conhecimento, comunicação, formação e discussão de assuntos éticos prementes e/ou atuais.

No exercício das suas funções, a Comissão de Ética atua com total independência relativamente aos órgãos de gestão e Conselho de Administração da ULSCB.

Composição

A Comissão de Ética tem uma composição multidisciplinar, cujos membros podem ou não exercer a sua atividade profissional na Unidade Local de Saúde de Castelo Branco. Poderá, também recorrer à colaboração de outros técnicos ou peritos exteriores sempre que o considere necessário.

Equipa

  • Presidente: Dr.ª Isabel Maria Duque Gonçalves Martins
  • Vice-Presidente: Dra. Maria Rita Fernandes Martins Gardete
  • Dr. João Manuel Ferreira Gabriel
  • Dr. Mário Domingos Carreira Carrachás
  • Professora Isabel Maria de Sousa Lourenço
  • Dr. Miguel Eugénio Cardoso Resende
  • Enf. Antonieta Maria Lopes Martins Santos
  • Fisioterapeuta António Vasco Tomás Eusébio
  • Padre Nuno Miguel Barradas Tavares Folgado

Medicina Paliativa e Dor Crónica
Responsável

Dra. Isabel Maria Duque Gonçalves Martins

Enfermeira Responsável

Enf. Sílvia Cristina Almeida Simões

Contactos

Email: U_dor_paliativos@ulscb.min-saude.pt


X- Internato Médico

A Direção do Internato Médico rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Direção de Internato Médico: Dr. Rui Raínho

Gabinete do Internato Médico


Unidade de Segurança, Higiene e Risco Geral

São objectivos da Unidade de Segurança, Higiene e Risco Geral, manter e melhorar as condições de segurança e a qualidade das instalações, avaliar os riscos e perigos internos e externos, prevenir os acidentes e incidentes, limitar e minorar as suas consequências.

Responsável: Eng. António Manuel dos Santos Alves

Contactos:  amalves@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Hotelaria e Apoio Geral

O Serviço de Hotelaria e de Apoio Geral visa prestar actividades de apoio geral às diversas Unidades Orgânicas da ULSCB, abrangendo a gestão da Rouparia, os Serviços de limpeza, a Triagem e Recolha de Resíduos Hospitalares e Urbanos e o controlo de pragas.

Responsável: Eng. José Nunes

Contactos: jose.nunes@ulscb.min-saude.pt

 


Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

O Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho visa a prevenção dos riscos profissionais e a promoção da saúde dos trabalhadores, integrando profissionais com formação adequada, os necessários médicos especialistas na área da medicina no trabalho, os técnicos superiores de higiene e segurança no trabalho e o correspondente apoio de profissionais de enfermagem.

Compete, designadamente, ao Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho:

  • Planificação e organização da prevenção de riscos profissionais;
  • Eliminação de factores de risco e acidentes;
  • Avaliação e controlo de riscos profissionais;
  • Informação, formação, consulta e participação dos trabalhadores e seus representantes;
  • Realizar a avaliação clínica períodica, de acordo com a lei em vigor, com a finalidade de garantir a aptidão do profissional para o desenvolvimento das suas funções.

DOCUMENTOS

Regulamento Interno de Equipamento de Proteção Individual (EPI)


Serviço de Investigação, Formação e Ensino

Compete ao Serviço de Investigação, Formação e Ensino:

Na área da Investigação
Organizar e coordenar as atividades de investigação no âmbito das Ciências da Saúde, nomeadamente no que respeita à formação de grupos de investigação e à realização de projetos de investigação e ensaios clínicos;

Na área da Formação

  • Responder às exigências de formação dos colaboradores, diagnosticadas através do levantamento sistemático e da análise das necessidades
  • Organizar ações de formação, tertúlias e outros momentos de formação em articulação com os Serviços interessados e fomentar a participação dos colaboradores da ULS.
  • Organizar e manter um Centro de documentação e informação técnico-científico
  • Desenvolver esforços em articulação com o Gabinete de Planeamento e Controlo de Gestão e Serviço de Gestão Financeira, com vista à obtenção de financiamento para as ações a desenvolver.

Na área do Ensino

  • Efetuar a articulação interinstitucional no âmbito do ensino pré e pós graduado em que participa a ULS, nomeadamente com a UBI e IPCB, junto aos respetivos Coordenadores de Ensino.
  • Organizar a atividade relacionada com o ensino pré e pós graduado, em articulação com os Órgãos interessados da ULS e as entidades com quem a ULS haja estabelecido relações de parceria.

Na dependência do SIFE: Revista de Saúde Amato Lusitano / Biblioteca da ULS de Castelo Branco

Coordenadora Técnica: Dra. Helena Lopes
Secretariado: Dra. Alexandra Almeida / Nuno Roberto
Contactos:  sife@ulscb.min-saude.pt | 272 000 272 –  extensão: 2245

Artigos Publicados em Revistas com Factor de Impacto e Indexadas no Science Citation Index

2010

Caldeira A, Martin-Carreras F, Pereira E, Sousa R, Gonçalves R, Tristan J, Banhudo A. “Malignant fibrous histiocytoma – a rare hepatic tumor”. Ver Esp Enferm Dig. 2010;102(2):146-7

Caldeira A, Casanova P, Sousa R, Martins P, Banhudo A, Pimentel J. “Enteric nutrition and esophageal impactation: what relationship”. Acta Med Port. 2010;23(2):183-90

Caldeira A, Pereira B, Pereira E, Sousa R, Tristan J, Gonçalves R, Banhudo A. “Intraductal papillary mucinous neoplasm – the experience of natural history”. Ver Esp Enferm Dig. 2010;102(12):732-4

Gonçalves JA, Santos C, Montálban JM, Filipe RA, Chorão R, Freixo J, Ramalheiro A, Bernardo A, Iglesias AB, Rocha E. “Continuous venovenous haemodiafiltration as a solution for acute intoxication with sodium valproate”. Nefrologia. 2010;30(1):134-5

Seabra-Gomes R; Investigadores do Registo PULSAR (Bragança G). “Characterization of an ambulatory population with stable coronary artery disease and importance of heart rate: the PULSAR registry.” Rev Port Cardiol. 2010;29(4):483-508

Santos C, Marcelino P, Carvalho T, Coelho J, Bispo M. Mourão L, Perdigoto R, Barroso E. “The value of tubular enzymes for early detection of acute kidney injury after liver transplantation: an observational study”. Transplantation Proceedings, 2010;42:3639-3643

2011

Vaz PS, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Gouveia A, Loureiro A. “Small bowel metastatic of malignant melanoma: a rare cause of lower gastrointestinal bleeding”. Acta Med Port. 2011;24(1):179-82

Soares JB, Gonçalves R, Banhudo A, Pedrosa J. “Reprocessing practice in digestive endoscopy units of district hospitals: results of a Portuguese National Survey”. Eur J Gastroenterol Hepatol. 2011;23(11):1064-8

Bernardo AP, Montalbán JM, Rocha E. “A patient with acute renal failure and episcleritis, is there more than meets the eye?”. Nefrologia. 2011;31(2):225-6

2012

Vaz PS, Pereira E, Usurelu S, Monteiro A, Caldeira A, melo G, Sousa R, Gouveia A, Arnandina L. “Hepatic hydatid cyst: a non-surgical approach”. Ver Soc Bras Med Trop. 2012;45(6):774-6

Fonseca J, Alves C, Neto R, Arroja B, Vidal R, Macedo G, Nunes AA, Rego A, Carvalho J, Banhudo A, Curado A, Lima PN, Baranda J, Ribeiro F. “Nonvariceal upper gastrointestinal bleeding in Portugal: a multicentric retrospective study in twelve portuguese hospitals”. Gastroenterol Hepatol. 2012;35(6):377-85

Steg PG, Ferrari R, Ford I, Greenlaw N, Tardif JC, Tendera M, Abergel H, Fox KM; CLARIFY Investigators (Bragança G). “Heart rate and use of beta-blockers in stable outpatients with coronary artery disease.” PLoS One. 2012;7(5):e36284

Peixinho CM, Tavares-Ratado P, Gabriel MF, Romeira AM, Lozoya-Ibáñez C, Taborda-Barata L, Tomaz CT. “Different in vivo reactivity profile in health care workers and patients with spina bifida to internal and external latex glove surface-derived allergen extracts.” Br J Dermatol. 2012;166(3):518-24

Franco DG, Cardoso J, Neto I. “Attitudes towards affectivity and sexuality of people with intelectual disability”. Sex Disabil, 2012;30:261-287

Santos CR, Branco PQ, Gaspar A, Bruges M, Anjos R, Gonçalves MS, Abecasis M, Meneses C, Barata JD. “Use of peritoneal dialysis after surgery for congenital heart disease in children”. Perit Dial Int, 2012;32(3):273-279

2013

Silva JM, Alves AS, Pereia A, Pereira E, Pedro LM. “A dilatação da aorta ascendente é marcador de dilatação da aorta abdominal? Relações entre o diâmetro da aorta torácica avaliada por ecocardiografia e a aorta abdominal estudada por ultrassonografia” Angiol Cir Vasc. 2013;9(2):52-58

Farinha H, Raposo de Almeida J, Aleixo AR, Oliveira H, Xavier F, Santos AI. “Relationship between smoking and anxiety and depression in primary care”. Acta Med Port. 2013;26(5):523-30

Costa Almeida CE, Rainho R, Gouveia A. “Codfish may cause acute abdómen” Int J Surg Case Rep. 2013;4(11):969-71

Pereira B, Santos A, Pereira E, Banhudo A. “Foreign body-induced acute pancreatitis: ultrasonographic diagnosis”. Ver Esp Enferm Dig. 2013;105(7):439-40

Pereira B, Santos A, Leitao C, Banhudo A. “Aspiration of capsule endoscope”. Ver Esp Enferm Dig. 2013;105(7):438-39

Silva Vaz P, Caldeira A, Sousa R, Gouveia A, Banhudo A, Loureiro A. “The value of procalcitonin, antithrombin III and BISAP score at predicting the severity of acute pancreatitis”. Pancreatology, 2013;13:S34-S35

2014

Kalra PR, García-Moll X, Zamorano PA, Fox KM, Ford I; Ferrari R, Tarfif JC, Tendera M, Greenlaw N, Steg PG; CLARIFY Investigators (Bragança G). “Impact of chronic kidney disease on use of evidence-based therapy in stable coronary artery disease: a prospective analysis of 22,272 patients.” PLoS One. 2014;9(7):e102335

Vizinho RS, Santos C, Lucas C, Adragão T, Barata JD. “Effect of the arteriovenous access for hemodialysis on subendocardial viability ratio, pulse pressure and hospitalizations”. J Neprol, 2014;27(5):563-70

Rodrigues CG, Pereira E, Caldeira A, Santos A, Sousa H, Banhudo A. “Ecoendoscopia digestiva na prática clínica parte IIA – utilidade na avaliação do pâncreas”. GE J Port Gastrenterol, 2014;21(2):60-74

2015

Usurelu S, Bettencourt V, Melo G. “Abdominal Trauma by Ostrich”. Ann Med Surg (Lond). 2015;23(4):41-3

Vieira-Sousa N, Machado PM, Costa J, Ribeiro A, …, Abreu P, Barcelos B. “Portuguese recommendations for the use of biological therapies in patients with psoriatic arthritis – 2015 update”. Acta Reumatol Port. 2015;40:275-290

Fauchier L, Greenlaw N, Ferrari R, Ford I, Fox KM, Tardif JC, Tendera M, Steg PG; CLARIFY Investigators (Bragança G). “Use of anticoagulants and antiplatelet agentes in stable outpatints with coronary artery disease anda trial fibrillation” PLoS One 2015; 10(4):e0125164

Rainho R, Bettencourt V, Silva Vaz P, Mega M, Gouveia A. “Penetrating abdominal trauma: case reports on the role of laparoscopy”. European Journal of Trauma & Emergency Surgery, 2013;41(suppl 2):S245

Franco D, Alves D, Almeida AC, Almeida CC, Moreno C, Freixo J. “Dedo azul não-isquémico espontâneo: um fenómeno raro e benigno”. Acta Med Port, 2015;28(4):528-30

2016

Leitao C, Ribeiro H, Caldeira A, Sousa R, Banhudo A. “Late transmural mesh migration into the esophagus after Nissen fundoplication”. Endoscopy. 2016;48Suppl1 UCTN:E:166-7

Lozoya-Ibáñez C, Morgado-Nunes S, Rodrigues A, Lobo C, Taborda-Barata L. “Prevalence and clinical features of adverse food reactions in Portuguese adults” Allergy Asthma Clin Immunol. 2016;12:36

Silva Vaz P, Oliveira R, Abrantes AM, Encarnação JC, Gouveia A, Castelo-Branco M, Botelho MF, Tralhão JG. “Severity histologic score of acute pancreatitis in murine models: preliminary results”. Pancreatology, 2016;16(3):S19-S20

Silva Vaz P, Oliveira R, Abrantes AM, Encarnação JC, Gouveia A, Castelo-Branco M, Botelho MF, Tralhão JG. “Severity histologic score of acute pancreatitis in murine models: preliminary results”. Virchows Arch, 2016;469(Suppl1):S82-S83   

Leitão C, Caldeira A, Banhudo A. “Small bowel obstruction seven years after video capsule retention”. GE Port J Gastroenterol, 2016; In Press

Alves D, Calmeiro ME, Silva R, Coelho H. Small-cell neuroendocrine cancer of the prostate: an atypical presentation of a common disease. BMJ Case Rep 2016 Oct 5;2016. Pii: bcr2016216199 (Doi: 10.1136/bcr-2016-216199)

Fernandez-Urien I, Lezaun R, Hernández M, Lainez B, Leitão C, Vila J. Esophagobronchial fistula closed by a cardiac septal occluder device. Endoscopy 2016;48 Suppl 1:E289-90 (Doi: 10.1055/s-0042-112974)

2017

Ferreira AI, Borges S, Sousa A, Ribeiro C, Mesquita A, Martins PC, Peyroteo M, Coimbra N, Leal C, Reis P, Sousa JA. Radical scar of the breast: I tis possible to avoid surgery?. Eur J Surg Oncol 2017 Jul;43(7):1265-1272 (doi: 10.1016/j.ejso.2017.01.238)

Alves D, Calmeiro ME, Macário C, Silva R. Family Phenotypic Heterogeneity Caused by Mitochondrial DNA Mutation A3243G. Acta Med Port 2017 Aug 31;30(7-8): 581-585 (doi: 10.20344/amp.8638)

Leitão C, Caldeira A, Banhudo A. A rare cause of intestinal bleeding: duodenal metastasis from enometrial cancer. Ver Esp Enferm Dig 2017 Aug;109(8):596 (doi: 10.17235/reed.2017.4822/2017)

Regateiro FS, Belkaya S, Neves N, Ferreira S, Silvestre P, Lemos S, Venâncio M, Casanova JL, Gonçalves I, Jouanguy E, Diogo L. Recurrent elevated liver transaminases anda cute liver failure in two siblings with novel bi-allelic mutations of NBAS. Eur J Med Genet 2017 Aug;60(8):426-432 (doi: 10.1016/j.ejmg.2017.05.005)

Duarte C, Sousa-Neves J,. Águeda A, Ribeiro P, Daniel A, (…) Barros R, Abreu P, Fonseca JE. Portuguese Recommendations for the use of biological therapies in patients with rheumatoid arthritis- 2016 update. Acta Reumatol Port 2017 Jun 1;42(2)(Apr-Jun):112-126

Barosa R, Teixeira C, Pinto J, E Branco JC. Early liver transplantation for severe alcoholic hepatitis – are we exploring all the tools?. Liver Int 2017 Sep;37(9):1407-1408 (doi: 10.1111/liv.13434)

Coelho R, Ribeiro H, Maconi G. Bowel Thickening in Crohn’s Disease: Fibrosis or Inflammation? Diagnostic Ultrasound Imaging Tools. Inflamm Bowel Dis 2017 Jan;23(1):23-34 (Doi: 10.1097/MIB.0000000000000997)

Barosa R, Pinto J, Caldeira A, Pereira E. Modern role of clinical ultrasound in liver abscess and achinococcosis. J Med Ultrason (2001) 2017 Jul;44(3):329-245 (Doi: 10.1007/s10396-016-0765-2)

Cesarini M, Collins GS, Rönnblom A, Santos A, Wang LM, Sjöberg D, Parkes M, Keshav S, Travis SP. Predicting the Individual Risk of Acute Severe Colitis at Diagnosis. J Crohns Colitis 2017 Mar 1;11(3):335-341 (Doi: 10.1093/ecco-jc/jjw159)

2018

Lopes Dias Pinto JS, Lopes Azevedo RJ, Duarte Banhudo AJ. An Uncommon Cause of Cholangitis and Cholecystitis. GE Port J Gastroenterol. 2018 Jun;25(4):211-213. (Doi: 10.1159/000481733)

Ribeiro H, Pereira E, Banhudo A. Colonic Necrosis Induced by Calcium Polystyrene Sulfonate. GE Port J Gastroenterol. 2018 Jun;25(4):205-207. (Doi: 10.1159/000481288)

Lopes Azevedo RJ, Pinto J, Ribeiro H, Pereira F, Leitão C, Caldeira A, Pereira E, Duarte Banhudo AJ. Eosinophilic Enterocolitis: An Exceedingly Rare Entity. GE Port J Gastroenterol. 2018 Jun;25(4):184-188. (Doi: 10.1159/000481915)

Azevedo R, Leitão C, Pinto J, Ribeiro H, Pereira F, Caldeira A, Banhudo A. Can Water Exchange Improve Patient Tolerance in Unsedated Colonoscopy A Prospective Comparative Study. GE Port J Gastroenterol. 2018 Jun;25(4):166-174. (Doi: 10.1159/000484093)

Ribeiro H, Leitão C, Banhudo A. Rare Manifestations of Hydatid Disease. GE Port J Gastroenterol. 2018 Apr;25(3):157-159. (Doi: 10.1159/000479592)

Azevedo R, Caldeira A, Banhudo A. Early Presentation of Buried Bumper Syndrome. GE Port J Gastroenterol. 2018 Apr;25(3):154-156. (Doi: 10.1159/000478943)

Ribeiro H, Azevedo R, Caldeira A, Sousa R, Pereira E, Banhudo A. Endoscopic Ultrasound-Guided Choledochoduodenostomy as Palliative Treatment: A Challenging Case Report. GE Port J Gastroenterol. 2018 Apr;25(3):146-150. (Doi: 10.1159/000481175)

Santos C, Marques da Silva P. Hemodynamic patterns in obesity associated hypertension. BMC Obes. 2018 Apr 16;5:13. (Doi: 10.1186/s40608-018-0190-8)

Capela T, Sousa P, Caldeira A, Pereira E. Intestinal Obstruction of Uncommon Cause and Point-of-Care Ultrasonography – Where Do We Stand? GE Port J Gastroenterol. 2018 Jan;25(1):38-41. (Doi: 10.1159/000477550)

Fernandes SR, Pinto JSLD, Marques da Costa P, Correia L; GEDII. Disagreement Among Gastroenterologists Using the Mayo and Rutgeerts Endoscopic Scores. Inflamm Bowel Dis. 2018 Jan 18;24(2):254-260. (Doi: 10.1093/ibd/izx066)

Ribeiro H, Azevedo R, Pereira E, Banhudo A. Spontaneous intramural intestinal hemorrhage due to anticoagulation therapy. Rev Esp Enferm Dig. 2018 Feb;110(2):123. (Doi: 10.17235/reed.2017.5019/2017)

2019

Pereira F, Linhares M, Pinto J, Tristan J, Banhudo A. An unusual endoscopic finding – Acute diverticulitis. Gastroenterol Hepatol. 2019 Sep 3. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.07.009)

Linhares M, Pereira F, Azevedo R, Sousa R, Banhudo A. Late closure by secondary intention of a large gastrocutaneous fistula after complicated percutaneous endoscopic gastrostomy. Gastroenterol Hepatol. 2019 Aug 29. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.07.001)

Pereira F, Azevedo R, Caldeira A, Sousa R, Banhudo A. Endoscopic removal of a giant lipoma of the caecum. Gastroenterol Hepatol. 2019 Jun – Jul;42(6):399-400. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.01.001)

Carvalho JROAS, Pereira F, Caldeira A, Pereira E, Banhudo A. The role of endoscopic ultrasound and contrast-enhanced endoscopy ultrasound in a case of cholangiocarcinoma. Indian J Gastroenterol. 2019 Feb;38(1):85-86. (Doi: 10.1007/s12664-019-00936-9)

Azevedo R, Caldeira A, Sousa R, Banhudo A. Liver abscesses: Blame it on the chicken bone. Dig Liver Dis. 2019 Apr;51(4):604. (Doi: 10.1016/j.dld.2018.11.011)

Azevedo R, Teles T, Caldeira A, Pereira E, Banhudo A. The unexpected finding: A fish bone mimicking a gastric tumour lesion. Gastroenterol Hepatol. 2019 May;42(5):312-313. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2018.08.002)

Pereira F, Leitão C, Azevedo R, Tristan J, Banhudo A. Acquired double pylorus: An unusual complication of duodenal ulcer. Gastroenterol Hepatol. 2019 Feb;42(2):115-116. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2018.07.008)

Azevedo R, Pereira F, Caldeira A. Black stomach: acute gastric wall ischemia due to polycythemia of an unknown origin. Rev Esp Enferm Dig. 2019 Mar;111(3):248. (Doi: 10.17235/reed.2018.5849/2018)

Jácome C, Almeida R, Pereira AM, (…) , Lozoya C, (…), INSPIRERS group. Asthma apps use and interest among patients with asthma: a multicentre study. J Investig Allergol Clin Immunol. 2019 Oct 10:0. (Doi: 10.18176/jiaci.0456)

Rodrigues-Pinto E, Caldeira A, Soares JB, Antunes T, Carvalho JR, Costa-Maia J, Oliveira P, Azevedo R, Liberal R, Bouça Machado T, Magno-Pereira V, Moutinho-Ribeiro P. Clube Português do Pâncreas Recommendations for Chronic Pancreatitis: Etiology, Natural History, and Diagnosis (Part I). GE Port J Gastroenterol. 2019 Aug;26(5):346-355. (Doi: 10.1159/000497388)

Pereira F, Pinto J, Tristan J. Upper Gastrointestinal Bleeding due to Cameron Lesions. Clin Gastroenterol Hepatol. 2019 Sep 6. (Doi: 10.1016/j.cgh.2019.08.049)

Pereira F, Linhares M, Pinto J, Tristan J, Banhudo A. An unusual endoscopic finding – Acute diverticulitis. Gastroenterol Hepatol. 2019 Sep 3. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.07.009)

Laia-Dias I, Lozoya-Ibáñez C, Skypala I, Gama JMR, Nurmatov U, Lourenço O, Taborda-Barata L. Prevalence and risk factors for food allergy in older people: protocol for a systematic review. BMJ Open. 2019 Aug 24;9(8):e029633. (Doi: 10.1136/bmjopen-2019-029633)

Azevedo R, Libânio D, Bastos P, Dinis Ribeiro M, Brandão C. Going through the Mesh: Argon Plasma Trimming of a Metal Biliary Stent. GE Port J Gastroenterol. 2019 Jul;26(4):295-297. (Doi: 10.1159/000493352)

Coelho ID, Romãozinho C, Teixeira AC, Rodrigues L, Ferreira E, Santos L, Macário F, Alves R, Figueiredo A. A Rare Manifestation of Tuberculosis in a Renal Transplant Patient: A Case Report. Transplant Proc. 2019 Jun;51(5):1618-1620. (Doi: 10.1016/j.transproceed.2019.02.022)

Ribeiro H, Libânio D, Castro R, Ferreira A, Barreiro P, Boal Carvalho P, Capela T, Pimentel-Nunes P, Santos C, Dinis-Ribeiro M. Reliability of Paris Classification for superficial neoplastic gastric lesions improves with training and narrow band imaging.Endosc Int Open. 2019 May;7(5):E633-E640. (Doi: 10.1055/a-0828-7541)

Coutinho J, Chorão RS, Oliveira M, Santos CR. Treating TNF Receptor Associated Periodic Fever Syndrome in End-Stage Renal Failure. Case Rep Nephrol. 2019 Mar 17;2019:6819476. (Doi: 10.1155/2019/6819476)

Pereira F, Azevedo R, Caldeira A, Sousa R, Banhudo A. Endoscopic removal of a giant lipoma of the caecum. Gastroenterol Hepatol. 2019 Jun – Jul;42(6):399-400. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.01.001)

Cerqueira S, Coelho ID, Macário F, Figueiredo A. Spontaneous subcapsular haematoma: a rare cause of acute kidney graft dysfunction. BMJ Case Rep. 2019 Jan 22;12(1). (Doi: 10.1136/bcr-2018-228413)

Silva-Vaz P, Abrantes AM, Castelo-Branco M, Gouveia A, Botelho MF, Tralhão JG. Murine Models of Acute Pancreatitis: A Critical Appraisal of Clinical Relevance. Int J Mol Sci. 2019 Jun 7;20(11). (Doi: 10.3390/ijms20112794)

Saraiva LA, Cunha RN, Sousa MP, Abreu P, Salvador MJ. Critical digital ischaemia-a rare complication of systemic sclerosis. Rheumatology (Oxford). 2019 Oct 31. (Doi: 10.1093/rheumatology/kez507)

2020

Linhares M, Pereira F, Pereira E, Banhudo A. Intestinal intussusception associated to diabetes. Gastroenterol Hepatol. 2020 Oct;43(8):451-452. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.11.014)

Correia RR, Dionísio C, Coxo C, Castelo-Branco M. Emphysematous cholecystitis: a rare complication. Gastroenterol Hepatol. 2020 Nov;43(9):522-523. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2020.01.011)

Pereira F, Pinto J, Tristan J. Upper Gastrointestinal Bleeding due to Cameron Lesions. Clin Gastroenterol Hepatol. 2020 Oct;18(11):A27. (Doi: 10.1016/j.cgh.2019.08.049)

Martins MDL, Abreu P, Caldeira A, Dias Pinto J, Sousa R. Whipple Disease and Ankylosing Spondylitis – A case report. J Clin Rheumatol. 2020 Jul 7. (Doi: 10.1097/RHU.0000000000001466)

Pereira F, Linhares M, Tristan J, Banhudo A. A selective approach for colonoscopy after acute diverticulites. Ann Gastroenterol. 2020 Mar-Apr;33(2):222. (Doi: 10.20524/aog.2020.0461)

Linhares M, Ramos D, Pereira F, Azevedo R, Sousa R, Banhudo A. Hidradenitis Suppurativa and Crohn Disease: A rare association. Inflamm Bowel Dis. 2020 Jun 18;26(7):e58. (Doi: 10.1093/ibd/izaa077)

Pereira F, Ferreira AI, Linhares M, Paulo S, Tristan J, Pereira E, Sousa R, Banhudo A. A rare case of diarrhea and ascites. Int J Colorectal Dis. 2020 Apr;35(4):769-773. (Doi: 10.1007/s00384-020-03523-z)

Pereira F, Linhares M, Pinto J, Tristan J, Banhudo A. An unusual endoscopic finding – Acute diverticulitis. Gastroenterol Hepatol. 2020 Feb;43(2):94. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2019.07.009)

Pereira F, Azevedo R, Tristan J. misplacement of a nasogastric feeding tube: a case report. Ver Esp Enferm Dig. 2020 Feb;112(2):159. (Doi: 10.17235/reed.2020.6512/2019)

Pereira F, Linhares M, Pinto J, Tristan J, Banhudo A. Metastasis of lobular breast carcinoma in the bowel. Gastroenterol Hepatol. 2020 Jun-Jul;43(6):323-324. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2020.01.009)

Pereira F, Azevedo R, linhares M, Pinto J, Leitão C, Caldeira A, Tristan J, Pereira E, Sousa R, Banhudo A. Hepatic osteodystrophy in cirrhosis due to alcohol-related liver disease. Ver Esp Enferm Dig. 2020 Dec 3. (Doi: 10.17235/reed.2020.7301/2020)

Bispo M, Caldeira A, Leite S, Marques S, Moreira T, Moutinho-Ribeiro P, Nunes N. Endoscopic Ultrasound-Guided Ablation of Focal Pancreatic Lesions: The GRUPUGE Perspective. GE Port J Gastroenterol. 2020 Nov;27(6):410-416. (Doi: 10.1159/000507895)

Silva-Vaz P, Abrantes AM, Morgado-Nunes S, Castelo-Branco M, Gouveia A, Botelho MF, Tralhão JG. Evaluation of Prognostic Factors of Severity in Acute Biliary Pancreatitis. Int J Mol Sci. 2020 Jun 16;21(12):4300. (Doi: 10.3390/ijms21124300)

Silva-Vaz P, Abrantes AM, Castelo-Branco M, Gouveia A, Botelho MF, Tralhão JG. Multifactorial Scores and Biomarkers of Prognosis of Acute Pancreatitis: Applications to Research and Practice. Int J Mol Sci. 2020 Jan 4;21(1):338. (Doi: 10.3390/ijms21010338)

Linhares M, Pereira F, Ramos D, Sousa R. Helicobacter heilmanniis s.l. and peptic ulcer disease – a rare cause. Gastroenterol Hepatol. 2020 Oct 27:S0210-5705(20)30329-0. (Doi: 10.1016/j.gastrohep.2020.06.035)

Jácome C, (…), Lozoya C. INSPIRERS group. Asthma App Use and Interest Among Patients with Asthma: a multicenter Study. J Investig Allergol Clin Immunol. 2020 Apr;30(2):137-140. (Doi: 10.18176/jiaci.0456)

Jácome C, (…), Lozoya C. INSPIRERS group. Validation of app and phone versions of the Control of Allergic Rhinitis and Asthma Test (CARAT). J Investig Allergol Clin Immunol. 2020 Aug;26:0. (Doi: 10.18176/jiaci.0640)

Azevedo R, Coelho M, Gouveia C, Loureiro R, Freire R, Silva R, Cravo M, Pereira AD, Ribeiro MD, de Ferro SM. Clinical score predicting a successful endoscopic approach of esophageal anastomic leaks: external validation. Eur J Gastroenterol Hepatol. 2020 Apr;32(4):490-495. (Doi: 10.1097/MEG.0000000000001621)

Gouveia C, Flor de Lima M, Pereira F, Rosa B, Cotter J, Banhudo A, Duarte M, Ferreira A, Cravo M, Nunes J. Should patients with symptomatic cholelithiasis before 20 years of age be tested for ABCB4 gene mutations?. Scand J Gastrentol. 2020 Aug;55(8):958-962. (Doi: 10.1080/00365521.2020.1790648)

Pereira F, Caldeira A, Leite S, Marques S, Moreira T, Moutinhop-Ribeiro P, Nunes N, Bispo M. GRUPUGE Perspective: Endoscopic Ultrasound-Guided Drainage of Peripancreatic Collections. GE Port J Gastroenterol. 2020 Dec;28(1):39-51. (Doi: 10.1159/000509193)

Moutinho-Ribeiro P, Costa-Moreira P, Caldeira A, Leite S, Marques S, Moreira T, Nunes N, Bispo M. Endoscopic Ultrasound-Guided Celiac Plexus Interventions. GE Port J Gastroenterol. 2020 Dec;28(1):32-.38. (Doi: 10.1159/000508293)

Correia RR, Cruz F, Martin S, André ME. Lyme aortitis. BMJ Case Rep. 2020 Jan 14;13(1):e231957. (Doi: 10.1136/bcr-2019-231957)

Saraiva LA, Cunha RN, Sousa MP, Abreu P, Salvador MJ. Critical digital ischaemia – a rare complication of Systemic sclerosis. Rheumatology (Oxford). 2020 Jun 1;59(6):1334. (Doi: 10.1093/rheumatology/kez507)

Limão R, (…), Lozoya C, (…), Pineda F. Molecular sensitization profile to dermatophagoides pteronyssinus Dust Mite in Portugal. J Investig Allergol Clin Immunol. 2020 Jul 30:0. (Doi: 10.18176/jiaci.0533)

Mendes RMG, Nunes ML, Sousa MCC, Goncalves RBR, Fernandes PN, Gomes AJO. Validation of the ICU Mobility Scale for Nursing Use: Portuguese Multicentric Observational Study. J Nurs Meas. 2020 Dec 17;JNM-D-19-00062. (Doi: 10.1891/JNM-D-19-00062)

EuroSurg Collaborative (Silva-Vaz P, Romano M, Gomes JR, Monteiro RG). Safety and efficacy of non-steroidal anti-inflammatory drugs to reduce ileus after colorectal surgery. Br J Surg. 2020 Jan;107(2):e161-e169. (Doi: 10.1002/bjs.11326)

EuroSurg Collaborative (Silva-Vaz P, Romano M, Gomes JR, Monteiro RG). Safety of hospital discharge before return of bowel function after elective colorectal surgery. Br J Surg. 2020 Jan;107(5):552-559. (Doi: 10.1002/bjs.11422)

2021

Linhares M, Pereira F, Caldeira A, Sousa R. Disseminated melanoma as the final diagnosis of a gastric lesion. Dig Liver Dis. 2021 Mar;53(3):377-378. (doi: 10.1016/j.dld.2020.06.043)

Amaral R, Jácome C, (…), Lozoya C, (…), Fonseca JA. Profiling Persistent Asthma phenotypes in Adolescenst: A Londitudinal Diagnostic Evaluation from the INSPIRERS Sytudies. Int J Environ Res Public Health. 2021 Jan 24;18(3):1015. (Doi: 10.3390/ijerph18031015)

GlobalSurg Collaborative and National Institute for Health Research Global Health Research Unit on Global Surg (Silva-Vaz P, Romano M, Gomes JR, Monteiro RG). Global Variation in postoperative mortality and complications after cancer surgery: a multicentre, prospective cohort study in 82 countries. Lancet. 2021 Mar 6;397(10277):880. (Doi: 10.1016/S0140-6736(21)00001-5)

Artigos em Revistas Indexadas

2010

Caldeira A, Vaz P, Tristan J, Sousa R, Mega M, Pereira E, Banhudo A. “Hemorragia digestiva média de causa pouco frequente”. Jornal Português de Gastrenterologia 2010; 17:172-177

2011

Monteiro A, Silva Vaz P, Usurelu S, Correia S, Rainho R, Valência L, Loureiro A. “Hidatidose hepática: apresentação clínica, conduta e terapêutica”. RSAL 2011;30:26-27

Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Rainho R, Gouveia A, Loureiro A. “Pé diabético: tratamento em regime de ambulatório”. RSAL 2011;29:28-29

Rainho R, Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Mega M, Loureiro A. “Nem tudo é apendicite – a diverticulite de Meckel”. RSAL 2011:29;39

Cardoso G, Monteiro A, Silva Vaz P, Usurelu S, Correia S, Rainho R, Valência L, Loureiro A. “Sarcoma retroperitoneal: apresentação de um caso clínico”. RSAL 2011;29:40

Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Rainho R, Paulino A, Silva R, Gouveia A, Loureiro A. “Organização da Consulta de Pé Diabético”. RSAL 2011;29:36

Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Rainho R, Paulino A, Perez H, Gouveia A, Loureiro A. “Quisto do mesentério: uma causa rara de dor abdominal”. RSAL 2011;29:37

Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Rainho R, Gouveia A, Loureiro A. “Linfangioma cavernoso esplénico: uma entidade rara”. RSAL 2011;29:37

Rainho R, Correia S, Monteiro A, Usurelu S, Silva Vaz P, Mega M, Loureiro A. “Nem tudo é apendicite – a diverticulite de Meckel”. RSAL 2011;29:39

2012

Silva Vaz P, Duarte L, Paulino A. Risco e Profilaxia do Tromboembolismo Venoso em Doentes Cirúrgicos. Revista Portuguesa de Cirurgia, 2012;23:23-32

Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Rainho R, Mega M, Paulino A, Perez H, Gouveia A, Loureiro A. “Quisto do mesentério: uma causa rara de dor abdominal”. RSAL 2012;30:37-40

Silva Vaz P, Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Rainho R, Melo G, Gouveia A, Banhudo A, Loureiro A. “Lesão de contacto (térmica) do reto e junção retossigmoideia”. RSAL 2012;30:48-4

2013

Usurelu S, Monteiro A, Correia S, Melo G, Loureiro A. “GIST gástrico – caso clínico”. RSAL 2013;32:36-40

Rainho R, Mega M, Gouveia A, Loureiro A. “Intussuscepção de neoplasia do cego”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013:109

Vieira A, Paulino A, Silveira L, Correia S, Loureiro A. “Bezoar: patologia centenária como nova composição”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013:124-125

Rainho R, Perez H, Valência L, Mega M, Loureiro A. “Traumatismo abdominal fechado com lesão hepatorrenal”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013:146

Correia S, Melo G, Loureiro A. “Adenocarcinoma do intestino delgado. Causa ou consequência?” Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013:197

Correia S, Melo G, Loureiro A. “Não é só um caso de intussuscepção intestinal… sarcoma, rápido e mortal.” Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013:197

Vieira A, Bettencourt V, Rainho R, Correia S, Paulino A, Loureiro A. “Será o diagnóstico de apendicite aguda unicamente clínico? Estudo retrospetivo de apendicectomias brancas”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirugia. Suplemento, março 2013, página 198

Correia S, Usurelu S, Melo G, Loureiro A. “Hemangioma esplénico.” Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013, páginas 199-200

Rainho R, Usurelu S, Perez H, Mega M, Loureiro A. “Linfoma não Hodgkin do ileum terminal”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013, página 209

Bettencourt V, Correia S, Melo G, Perez H, Loureiro A. “Um achado invulgar no espaço de Retzius”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIII Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2013, página 210

2014

Ribeiro I, Pereira E, Silva Vaz P, Banhudo A. “Endoanal ultrassound and elastrography in the evaluation of a retrorectal tumor”. Acedido em julho/2016 http://www.grupuge.com.pt/clinical-case-of-the-month/endoanal-ultrassound-and-elastography-in-the-evaluation-of-a-retrorectal-tumor.html

Correia S, Rainho R, Perez H, Mega M, Valência L, Paulino A, Melo G, Resende R, Gouveia A, Loureiro A. “Hérnia incisional gigante”. RSAL 2014;36:17-19

Correia S, Melo G, Loureiro A. “Complicação pós-operatória? Um caso de hemorragia digestiva baixa”. RSAL 2014;36:16

Romano M, Borges S, Silva Vaz P, Melo G, Gouveia A. “Linfoma de Hodgkin, uma apresentação rara”. RSAL 2014;37:6

Leitão C, Ribeiro H, Pinto J, Caldeira A, Pereira E, Sousa R, Tristan J, Perez H, Silva Vaz P, Banhudo A. “Colecistostomia percutânea guiada por ecografia – uma alternativa no doente crítico com colecistite aguda”. RSAL 2014;37:15

Rainho R, Silva Vaz P, Mega M, Gouveia A. “Oclusão intestinal por bezoar”. RSAL 2014; 37:34

Romano M, Monteiro A, Silva Vaz P, Melo G, Gouveia A. “Um doente com “sorte” – traumatismo abdominal penetrante”. RSAL 2014;37:35

Vieira A, Borges S, Monteiro A, Loureiro A, melo G, Paulino A, Gouveia A. “Imagens em Cirurgia: teratoma ovárico”. RSAL 2014;37:43

Monteiro A, Silva Vaz P, Correia S, Valência L, Melo G, Arnandina L. “GIST: Casuística cirúrgica de um hospital distrital”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIV Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2014:197

Correia S, Usurelu S, Melo G, Loureiro A. “Hérnia obturadora”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIV Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2014:145

Correia S, Leitão C, Melo G, Banhudo A, Loureiro A. “Time capsule – um caso peculiar de oclusão intestinal.” Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIV Congresso Nacional de Cirugia. Suplemento, março 2014:112

Correia S, Araújo C, Antunes P, Giesteira L, Cunha D, Guimarães dos Santos J, Moreira A, Sanches C, Abreu de Sousa J. “Carcinoma medular da tiróide: experiência de 11 anos de um centro terciário”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIV Congresso Nacional de Cirurgia. Suplemento, março 2014:76

Usurelu S, Bettencourt V, Melo G. “Agressão por avestruz”. Revista Portuguesa de Cirurgia. XXXIV Congresso Nacional de Cirugia. Suplemento, março 2014:47

2015

Vieira A, Paulino A, Silveira L, Correia S, Loureiro A. “Bezoar: patologia centenária com nova composição”. Revista Portuguesa de Cirurgia 2015;33:51-53

Romano M, Silva Vaz P, Gouveia A. “Divertículo de Meckel perfurado por corpo estranho”. RSAL 2015;38:15

2016

Silva Vaz P, Oliveira R, Abrantes AM, Encarnação JC, Gouveia A, Castelo-Branco M, Botelho MF, Tralhão JG. “Score Histológico no Modelo Murino de Pancreatite Aguda”. Revista Portuguesa de Cirurgia, Suplemento, março 2016, página 123

Silva Vaz P,  Abrantes AM, Oliveira R, Encarnação JC, Gouveia A, Castelo-Branco M, Botelho MF, Tralhão JG. “Estudo Experimental de Modelos Animais de pancreatite Aguda”. Revista Portuguesa de Cirurgia, Suplemento, março 2016, página 124


Serviço de Instalações e Equipamentos

O Serviço de Instalações e Equipamentos tem como função participar na gestão de instalações e equipamentos da ULSCB visando garantir o correto funcionamento das instalações e equipamentos, de acordo com as normas, regulamentos e legislação e vigor.

Responsável: Eng. Romeu Martins Louro

Contactos: Email: sie@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Informática

O Serviço de Informática tem como missão disponibilizar e assegurar a operacionalidade e manutenção dos recursos e serviços de informática e de comunicações a todos os colaboradores e utentes da ULSCB, apoiando e promovendo a sua utilização e inovação.

Responsável: Eng. Bruno Roberto Pires Carrulo

Contactos:  informatica@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Gestão de Transportes

O Serviço de Gestão de Transportes tem como missão disponibilizar e assegurar a operacionalidade dos recursos e serviços de transporte para colaboradores, utentes e bens da ULSCB.

Compete ao Serviço de Gestão de Transportes:

  • Assegurar o transporte de colaboradores;
  • Gerir a frota própria destinada ao transporte de colaboradores;
  • Gerir o processo de transporte de utentes.

Responsável: Dr. Celestino José Vicente Ramalho

Contacto: cramalho@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Recursos Humanos

Compete ao Serviço de Recursos Humanos:

  •  Planear, identificar e caracterizar as necessidades de recursos humanos, com base nas orientações do Conselho de Administração;
  • Assegurar todos os processos de recrutamento, selecção, contratação e mobilidade de recursos humanos;
  • Gerir o quadro de pessoal da organização, nas suas vertentes pública e empresarial, garantindo a execução de todos os procedimentos, do recrutamento à aposentação;
  • Organizar e manter os dados e processos individuais do pessoal, o arquivo central destes processos e a base de dados dos Recursos Humanos;
  • Controlar a assiduidade dos profissionais;
  • Processar os vencimentos, remunerações acessórias e respectivos encargos
  • Assegurar o cumprimento de todas as obrigações legais em matéria de recursos humanos;
  • Elaborar pareceres de suporte à tomada de decisão do Conselho de Administração;
  • Gerir e assegurar a execução dos processos de medicina no trabalho, de acordo com a legislação em vigor;
  • Garantir a prossecução da avaliação de desempenho, de acordo e nos termos da legislação vigente, assumindo a coordenação e desenvolvimento do sistema de avaliação de desempenho como instrumento estruturante da melhoria do desempenho da organização.

Responsável: Dr. José António Basílio

Contactos: srh.geral@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Gestão Financeira

O Serviço de Gestão Financeira tem por missão assegurar o funcionamento eficiente dos sistemas de contabilidade patrimonial, orçamental e de custos de suporte à atividade da ULSCB, EPE bem como executar, com qualidade e rigor, os procedimentos técnicos e contabilísticos, garantindo a elaboração atempada da informação económica e financeira a submeter ao Conselho de Administração e a entidades externas.

O serviço de Gestão Financeira estrutura-se nas seguintes áreas:

  • Contabilidade geral
  • Contabilidade analítica
  • Faturação e cobrança
  • Tesouraria

Responsável: Dr. Jorge Manuel Mateus Lourenço e Dra. Deli Silva

Contactos: jlourenco@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Gestão de Doentes

O Serviço de Gestão de Doentes tem por objectivo acolher, integrar, orientar e informar os utentes, em todas as fases do seu percurso, compreendendo a execução de tarefas de natureza administrativa e de apoio ao funcionamento dos Serviços Clínicos, assim como de outros serviços da ULSCB.

Responsável: Dr. João Carlos Santos Oliveira

Contactos:  jcoliveira@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Compras e Logística - Aprovisionamento

Ao Serviço de Compras e Logística compete garantir a aquisição, com mais-valia técnica e financeira, dos bens e serviços necessários à prossecução da missão da ULSCB, assegurando a sua colocação oportuna e eficiente junto dos utilizadores, potenciando a criação de sinergias negociais pela promoção da gestão integrada das relações com os fornecedores, de modo a alcançar uma taxa ótima da utilização dos recursos disponíveis.

Para cumprimento da sua função o Serviço de Compras e Logística estrutura-se nas seguintes áreas:

  1. Área de Compras  – aquisição de bens, serviços e empreitadas
  2. Área de Logística – armazenagem, distribuição e gestão de existências

Responsável: Dra. Maria Inês Jesus Oliveira Antunes
Coordenador Técnico: Sr. Luís Correia Dias

Contactos:


Serviço Jurídico e Contencioso

Compete ao Serviço Jurídico e Contencioso:

  • Prestar assessoria jurídica aos responsáveis dos órgãos da ULSCB;
  • Elaborar estudos, pareceres e informações de natureza jurídica sobre todas as matérias relevantes para a atividade da ULSCB;
  • Instruir e prestar apoio nos processos de inquérito, averiguações e disciplinares;
  • Elaborar ou colaborar na criação de regulamentos, contratos, protocolos e acordos institucionais, bem como, de diplomas internos;
  • Promover e assegurar a defesa contenciosa dos interesses da ULSCB;
  • Elaborar respostas, contestações e outros articulados em processos cíveis, penais, laborais e administrativos intentados contra a ULSCB;
  • Intervir em diligências judiciais;
  • Intervir em recursos nos tribunais superiores;

Responsáveis

Área de Informação Jurídica

Dra. Maria Alzira Lima Rodrigues Serrasqueiro      Email: mserrasqueiro@ulscb.min-saude.pt

Área de Apoio e Contencioso Jurídico

Dr. José António Manso Basílio     Email: jbasilio@ulscb.min-saude.pt


Gabinete de Gestão de Projectos

Compete ao Gabinete de Projetos:

  • Preparar, submeter e acompanhar candidaturas a apoios financeiros comunitários;
  • Coordenar, gerir e acompanhar projetos nas diversas instâncias e fases, propostos pelo Gabinete de Gestão de Projetos;
  • Organizar os processos de pedidos de financiamento a submeter à autoridade de gestão responsável pelo financiamento
  • Elaborar o relatório da atividade anual do Gabinete, a submeter ao Presidente do conselho de Administração.

Responsável: Dr. Celestino José Vicente Ramalho


Gabinete de Apoio à Gestão

O Gabinete de Apoio à Gestão é um órgão de apoio técnico ao Conselho de Administração que visa fornecer informação útil e atempada, relativa à eficácia das atividades desenvolvidas pela ULSCB e a sua produtividade, que dê suporte e segurança ao processo de decisão, acompanhamento e monitorizando indicadores que concorrem para o cumprimento da missão e

Responsável área dos Cuidados Hospitalares

Dr. Paulo Jorge Tavares

Contactos:  gag@ulscb.min-saude.pt


Gabinete de Comunicação e Imagem

Missão

  • O Gabinete de Comunicação e Imagem é um gabinete de apoio ao Conselho de Administração, competindo-lhe designadamente organizar e facilitar todos os meios de comunicação interna e externa, contribuindo para acrescente humanização e acessibilidade da instituição aos seus utentes e profissionais.

Objetivos

  • Assessorar o Conselho de Administração em matéria de comunicação e relações públicas;
  • Promover interna e externamente a imagem da ULSCB, nos termos das orientações do Conselho de Administração;
  • Monitorizar interna e externamente a boa imagem da ULSCB e propor ações que contribuam para a sua preservação;
  • Gerir os espaços públicos de divulgação de informação;
  • Divulgar factos e eventos de interesse a nível interno e externo;
  • Produzir e gerir conteúdos informativos em portais de informação e colaboração internos e externos;
  • Editar periodicamente uma revista informativa de carácter institucional em formato eletrónico;
  • Promover a uniformização da imagem da ULSCB em todos os documentos e publicações eletrónicas e não eletrónicas;
  • Organizar eventos da ULSCB, nos termos das orientações do Conselho de Administração;
  • Garantir a constante atualização da sinalética, de forma a facilitar a circulação dos utentes e colaboradores da ULSCB;
  • Identificar e comunicar necessidades de formação para a garantia da qualidade da imagem da ULSCB.

A ULS de Castelo Branco está presente na web, nas redes sociais e suportes digitais: WebsiteFacebookInstagram

A utilização institucional dos canais digitais e recomendações aos profissionais da ULSCB estão definidas na Política de Canais Digitais da ULSCB.

Responsável: Eng. Andreia Cristina Minhós Barata Gil

Contactos


Serviço de Secretariado do Conselho de Administração

O Serviço de Secretariado do Conselho de Administração é constituído por profissionais a quem compete apoiar administrativamente o Presidente e os Vogais Executivos do Conselho de Administração, a Direção Clínica e a Direção de Enfermagem.

Responsável: Dra. Marina Elisabete Gordino Pires


Sigic

Compete ao Gabinete Hospitalar de Gestão de Inscritos para Cirurgia – SIGIC:

  • A centralização da gestão de inscritos para cirurgia na ULSCB;
  • A monitorização interna do processo;
  • A divulgação e garantia do cumprimento das normas aplicáveis à lista de inscritos para cirurgia e seu regulamento;
  • Prestar apoio aos Serviços Cirúrgicos;
  • Proceder ao aviso e correcção dos desvios indentificados;
  • O atendimento aos utentes;
  • A interligação com as Unidades Centrais e Regionais, outros hospitais públicos e privados.

Serviço de Codificação Clínica

Compete ao Gabinete de Codificação Clínica:

  • Promover a disponibilização atempada de informação clínica aos clientes internos relevantes;
  • Garantir a codificação da produção da ULS, nos termos da legislação em vigor;
  • Garantir a auditoria da codificação da produção da ULS, nos termos da legislação em vigor.

Responsável: Dra. Rita Maria Mira Franco Belico Velasco Resende

Contatos:  rresende@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Nutrição, Alimentação e Dietética

O Serviço de Nutrição, Alimentação e Dietética tem como principal objetivo garantir a prestação de cuidados nutricionais e dietéticos, individualizados nas diferentes áreas clínicas.

Compete ao Serviço de Nutrição, Alimentação e Dietética:

  • Garantir o funcionamento da Consulta de Nutrição e Dietética na ULSCB;
  • Avaliar a composição das ementas fornecidas aos utentes e a colaboradores;
  • Participar e promover programas e ações multidisciplinares desenvolvidas nas áreas da prevenção na doença, promoção da saúde, reabilitação e educação alimentar;
  • Planear e assegurar a alimentação de utentes e colaboradores;
  • Supervisionar a preparação, confeção e distribuição das refeições, em articulação com a Unidade de Hotelaria e Apoio Geral;
  • Controlar a composição e qualidade dos alimentos consumidos na ULSCB, por utentes e colaboradores.

Serviço Social

O Serviço Social tem por finalidade apoiar as Unidades Funcionais dos Centros de Saúde, Serviços de Internamento, Emergência, Ambulatório e Domiciliário, desenvolvendo um trabalho integrado nas respetivas equipas de tratamento e com o objetivo de ultrapassar ou minorar os problemas de natureza social dos utentes, que respeitem diretamente à sua situação de saúde.

Responsável: Dr. António Miguel Breia Vicente

Contactos:  servico.social@ulscb.min-saude.pt

 

Folheto informativo sobre a medida – Estatuto do Cuidador Informal.


Serviço de Esterilização

O Serviço de Esterilização visa assegurar o processamento de todos os dispositivos médicos reutilizáveis, quer sejam desinfetantes ou esterilizados, necessários à prestação de cuidados ao doente, segundo as boas práticas e normas aplicáveis, tendo em vista a prevenção de infeções associadas aos cuidados de saúde.

Responsável: Enfª Maria Lourdes Reis

Contactos: mlreis@ulscb.min-saude.pt


Serviço Farmacêutico

Compete ao Serviço Farmacêutico:

  • Gerir a farmácia, assegurando a gestão e conservação das existências de medicamentos e produtos farmacêuticos;
  • Garantir a qualidade e segurança do circuito do medicamento, prevenindo erros de prescrição, administração e registo;
  • Promover a informação interna periódica (mensal) sobre o consumo de medicamentos e produtos farmacêuticos;
  • Colaborar na investigação e no ensino das suas áreas específicas, designadamente através da colaboração nos ensaios clínicos autorizados e na preparação e aperfeiçoamento dos profissionais;
  • Celebrar acordos de nível de serviço com os seus clientes e fornecedores internos, de forma a adequar o serviço prestado às capacidades, necessidades e expectativas dos mesmos;
  • Monitorizar os indicadores de nível de serviço e promover ações de regularização dos mesmos;
  • Subcontratar internamente o planeamento e gestão de stocks dos medicamentos e produtos farmacêuticos ao Planeamento e Gestão de Stocks do Centro de Operações e Logística;
  • Controlar a dispensa de medicamentos, posologia e duração de terapêutica;
  • Monitorizar a farmacoterapêutica das Unidades e Serviços de prestação de cuidados;
  • Assegurar a farmacovigilância;
  • Emitir pareceres e relatórios obrigatórios;
  • Promover a informação sobre o medicamento e a prestação de apoio farmacêutico aos Serviços e Unidades de prestação de cuidados;
  • Cumprir exigências legais sobre medicamentos sujeitos a legislação própria (estupefacientes e psicotrópricos, imunoglobinas, derivados do plasma, pedidos de autorização de utilização especial, antiretrovíricos, medicamentos para a insuficiência renal crónica, entre outros);
  • Preparar e produzir medicamentos manipulados não estéreis, citotóxicos e alimentação parentérica, de acordo com as normas de qualidade e segurança aplicáveis;
  • Assegurar a receção e armazenamento de medicamentos e produtos farmacêuticos, garantindo a sua qualidade e conservação;
  • Preparar a distribuição de medicamentos e produtos farmacêuticos;
  • Subcontratar internamente o transporte e distribuição dos medicamentos e produtos farmacêuticos à Unidade de Compras e Logística;
  • Assegurar a distribuição de medicamentos em ambulatório.

Responsável: Dra. Sandra Isabel Silva Queimado

Contatos:

  • Telefone Geral: 272 109 009
  • Telemóvel ambulatório – 933 059 007 – Aconselhamento farmacêutico, esclarecimento de dúvidas, reporte de suspeita de efeitos adversos
  • Email: farmacia@ulscb.min-saude.pt

Carteira de Serviços dos Serviços Farmacêuticos da ULSCB
Os Serviços Farmacêuticos compreendem todas as atividades inerentes à seleção, preparação, armazenamento, manipulação e distribuição de medicamentos. Faz parte ainda da atividade farmacêutica o aconselhamento aos doentes, cuidadores e a outros profissionais de saúde sobre o uso seguro, eficaz e eficiente dos medicamentos. Desta forma é assegurado um controlo/monitorização global do medicamento na instituição.

Gestão de medicamentos e produtos farmacêuticos
Com base no formulário hospitalar os Serviços Farmacêuticos propõem a aquisição de medicamentos tendo em conta imperativos legais, características técnicas dos medicamentos e necessidades terapêuticas dos doentes. É feita a avaliação na aquisição e seleção de medicamentos, tendo por base critérios de custo-efetividade assim como análise e avaliação da utilização de medicamentos, nas vertentes farmacoterapêutica, económica e controlo de stocks.

Distribuição
Os Serviços Farmacêuticos asseguram a terapêutica prescrita ao doente internado, assim como a distribuição para Centros de Saúde e dispensa de medicamentos em ambulatório. Na sua maioria os medicamentos são dispensados diariamente, com o fim de minimizar erros e assegurar que o doente recebe o medicamento certo na altura certa.

Farmacotecnia
A área da produção envolve a preparação de medicamentos citotóxicos, biológicos, medicamentos manipulados e a reembalamento de medicamentos para dose unitária.

Farmácia Clínica e Cuidados Farmacêuticos
A atividade clínica do farmacêutico no hospital desenvolve-se diariamente através do seu apoio aos serviços clínicos, validando a terapêutica dos doentes: antibióticos, doses, posologias e duração de tratamentos, monitorizando o resultado da sua utilização e fazendo acompanhamento farmacoterapêutico na transição entre os diferentes níveis de cuidados.

Ensaios Clínicos
Participação na equipa multidisciplinar de apoio à realização de ensaios clínicos no hospital assegurando o cumprimento das normas referentes ao circuito do medicamento experimental.

Formação
Colaboração na formação de alunos de Ciências Farmacêuticas e Farmácia através de estágios complementares à sua formação académica. Participação em formações internas e integração nos planos de formação da instituição.

Comissões Técnicas
Integração em comissões técnicas, nomeadamente, Comissão de Farmácia e Terapêutica, Unidade Local do programa de prevenção e controle de infeção e das resistências aos antibióticos(UL_PPCIRA) e Comissão de Prevenção e Tratamento de Feridas.

Folhetos Informativos:

Guia de Acolhimento do Serviço Farmacêutico


Serviço de Urgência
Responsável

Dr. João António Pinheiro Dias Freixo

Enfermeira Responsável

Enf. Lucília Bento

Contatos
  • Secretariado: 2180/2185
  • Gabinete de Informações: 2412
  • Gabinete de Enfermagem: 2184
  • Gabinete Médico: 2181

Centro S. Sertã - UCSP da Sertã

Morada

Avenida Padre Manuel Antunes nº2
6100-781 SERTÃ

Contatos:

Telefone Geral: 274 600 800
Urgência: 274 600 807
Marcação de Consultas: 274 600 809
Gabinete de Enfermagem: 274 809 339
Fax Geral: 274 600 811
Endereço de correio electrónico: ucsp.serta@ulscb.min-saude.pt

Unidade de Cuidados na Comunidade da Sertã

https://uccserta.wordpress.com/

Extensões de Saúde Associadas

  •  Extensão de Saúde Cernache do Bomjardim – Telefone Geral 274 800 010
  • Extensão de Saúde Cabeçudo – Telefone Geral 274 602 267
  • Extensão de Saúde Pedrogão Pequeno – Telefone Geral 236 487 449
  • Extensão de Saúde Castelo – Telefone Geral 274 802 179
  • Extensão de Saúde Várzea de Cavaleiros – Telefone Geral 274 685 050
  • Extensão de Saúde Troviscal – Telefone Geral 274 664 300

Centro S. Proença a Nova - UCSP de Proença a Nova

banner_csproencaMissão

A Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Proença a Nova, tem por missão garantir a prestação de cuidados de saúde primários à população da sua área geográfica, procurando manter os princípios de equidade e solidariedade, de forma a que todos os grupos populacionais partilhem igualmente dos avanços científicos e tecnológicos, postos ao serviço da saúde e do bem estar.
Tendo em conta a sua missão, desenvolve as suas atividades:
– na promoção da saúde;
– na prevenção da doença;
– na prestação de cuidados de saúde, estando em interligação com os outros serviços para a continuidade dos mesmos.
O objetivo primordial é que o profissional e o utente sejam respeitados na sua dignidade, sendo apoiados nas suas dificuldades e incentivada a sua capacidade de colaboração.

Coordenadora: Dra. Joana Azevedo Martins Leme
Enfermeiro responsável: Enfª Fernanda Paisana
Responsável Técnico: Fátima Sequeira

Serviços disponíveis
Consulta de Medicina Geral e Familiar
Consultas de Saúde Materna
Consultas de Planeamento Familiar/Plano Oncológico Nacional
Consultas de Saúde Infantil e Juvenil
Consultas de Rastreio de Desenvolvimento Infantil
Consultas de Adolescentes
Saúde Escolar
Saúde Oral
Consultas de Nutrição
Consultas de Psicologia
Vacinação
Saúde Pública
Tratamentos
Visitação Domiciliárias
Exame Global
Serviço Atendimento Complementar (S.A.C.)

  • Morada. Rua Manuel Martins d’Évora, 1, Apartado 43 – 6154-909 PROENÇA-A-NOVA
  • Horário de Funcionamento: 2ª a domingo – 08h00 às 24h00
  • Horário de Funcionamento da Saúde Pública: 4ª feira -09h00 às 12h00

Contatos
Telefone Geral – 274 670 040  /  Atendimento – 274 670 041  /  SAC – 274 670 042
Secretaria – 274 670 043  /  Fax Geral – 274 670 048
Endereço de correio eletrónico – ucsp.proenca@ulscb.min-saude.pt

Extensões de Saúde Associadas

  • Extensão de Saúde Sobreira Formosa – Telefone 274 820 150
  • Extensão de Saúde São Pedro do Esteval – Telefone 274 855 170
  • Extensão de Saúde Montes da Senhora – Telefone 274 833 480
  • Extensão de Saúde Alvito da Beira – Telefone 274 833 367
  • Extensão de Saúde Peral – Telefone 274 844 150

Centro S. Oleiros - UCSP de Oleiros

banner_csoleirosMissão
A Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Oleiros serve uma população de 5721 habitantes e tem por missão prestar cuidados de saúde aos cidadãos na sua vertente preventiva e curativa, assim como promover e desenvolver ações de formação e ensino em saúde a nível de grupos profissionais e educacionais, ex: Bombeiros, Escolas etc.

Áreas de atividade e técnicas desenvolvidas
Todos os sectores de profissionais de saúde integram entre si as equipas (Médico, Enfermeiro, Administrativo) que aos utentes de cada ficheiro, prestam cuidados no âmbito da prevenção (S. Infantil, Planeamento Familiar, Saúde Materna e atualmente Consulta da Diabetes (dedicada) e, Pé Diabético, anticoagulação, promoção da saúde através do desenvolvimento de ações formativas e de ensino em saúde nomeadamente a grupos de risco, como é o caso de cardio-vasculares, Diabetes mellitus, Hipertensão Arterial, anticoagulação e patologias sexualmente transmisíveis, gripe e ainda consultas do âmbito curativo em toda a área da Medicina Geral e Familiar.

Recursos humanos
De realçar que devido aos poucos recursos humanos no sector médico, os pacientes/utentes beneficiam da intersubstituição dos profissionais de fora a salvaguardar a assistência médica e de enfermagem a todo o cidadão na área da UCSP.

Localização, horário de funcionamento e contactos
Morada
Largo do Hospital
6160-680 OLEIROS

Telefone Geral – 272 680 160
Fax Geral – 272 680 161
Fax do SAP – 272 680 162
Endereço de correio electrónico: ucsp.oleiros@ulscb.min-saude.pt

Extensões de Saúde Associadas

  • Extensão de Saúde Isna – Telefone Geral 272 680 160
  • Extensão de Saúde Estreito – Telefone Geral 272 654 164
  • Extensão de Saúde Orvalho – Telefone Geral 272 746 133

Profissionais Serviços Não Clínicos
Auditoria Interna: Dra. Maria de Lurdes Teixeira Pires Mota
Gabinete do Cidadão: Dra. Margarida Mendes Santos
Gabinete de Comunicação e Imagem: Eng. Andreia Cristina Minhós Barata Gil
Gabinete de Gestão de Resíduos e Higienização Hospitalar: Eng. Pedro Anjos
Gabinete Jurídico e Contencioso: Dra. Maria Alzira Lima Rodrigues Serrasqueiro e Dr. José Manso Basílio
Gabinete de Planeamento e Controlo de Gestão: Dr. Paulo Tavares
Gabinete da Qualidade: Dr. Manuel Lourenço Nunes
Secretariado do Conselho de Administração: Dra. Marina Elisabete Gordino Pires
Serviço de Recursos Humanos: Dr. José António Basílio
Serviço Farmacêutico: Dra. Sandra Isabel Silva Queimado
Serviço Financeiro:Dr. Jorge Lourenço e Dra. Deli Silva
Serviço de Gestão de Doentes: Dr. João Carlos Santos Oliveira
Serviço de Informática: Eng. Bruno Roberto Pires Carrulo
Serviço de Investigação Formação e Ensino:
Unidade de Compras e Logística: Dra Maria Inês Antunes
Unidade de Esterilização: Enfª. Maria Lourdes Lourenço Reis
Unidade Hoteleira e Apoio Geral: Eng. José Nunes
Unidade de Instalações e Equipamentos: Eng. Romeu Martins Louro
Unidade de Segurança, Higiene e Risco Geral: Eng. António Manuel dos Santos Alves
Unidade de Transportes: Dr. Celestino José Vicente Ramalho
 

 


Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente

Diretor do Serviço – Dr. João Manuel Ferreira Gabriel
Enfermeiro em funções de Gestão – Enf. Roberto Miguel Gonçalves Mendes

Médicos Especialistas

  • Dra. Nulita Lourenço
  • Dr. Paulo Costa

Enfermeiros com Especialidade

  • Enf. Fernando Micaelo
  • Enf. João Valente
  • Enf. Nelson Antunes
  • Enfª. Olinda Gonçalves
  • Enf. Rui Macedo
  • Enfª. Vânia Ramos

Enfermeiros

  • Enf. Alfredo Lourenço
  • Enfª. Amália Rossa
  • Enfª. Célia Caetano
  • Enf. Domingos Belo
  • Enfª. Elsa Lopes
  • Enfª. Eugénia Cabaço
  • Enfª. Eugénia Dias
  • Enf. Jaime Matos
  • Enf. João Sequeira
  • Enfª. Laura Pedro
  • Enfª. Manuela Moleiro
  • Enfª. Paula Martins
  • Enfª. Ricardina Coelho
  • Enfª. Sandrina Duarte

Secretariado Administrativo – Eloísa Luís

Assistentes Operacionais

  • Ana Ferreira
  • Celeste Afonso
  • Céu Dias
  • Fernanda Passarinho
  • Idalina Calmeiro
  • Rosa Santos
  • Sandra Crespo

HORÁRIO FUNCIONAMENTO

Secretariado Dias úteis das 9.00h às 16.00h

Horário de Visitas

  • Das 15.00h às 16.00h
  • Das 19.00h às 20.00h
  • Máximo 4 visitas por doente (um de cada vez)

Contactos

  • ULSCB: 272 000 272
  • UCIP: 272 000 262
  • Fax: 272 000 199
  • Email UCIP: ucip@ulscb.min-saude.pt
  • Email Diretor: jmfgabriel@gmail.com
  • Quaisquer informações pedidas por telefone serão dadas somente a um familiar de referência, preferencialmente entre as 11.00h e as 14.00h

Atividade Clínica

  • Internamento
    • Visita Médica diária aos doentes às 08.30
    • Atendimento de familiares dos doentes às 15.00h
  • Regime de Funcionamento
    • Todos os Médicos do Serviço trabalham em regime de exclusividade e jornada contínua, cumprindo uma média de 12 horas de trabalho diário.
    • Os Médicos cumprem ainda, de forma rotativa, períodos noturnos e fins de semana em presença física.

Carteira de serviços A Unidade difunde a sua carteira de serviços internamente, possui as seguintes valências de Cuidados Intensivos Tipo II:

  • Emergências Cardiorespiratórias
  • Vias Verdes AVC’s, Sepsis, EAM
  • Intoxicações
  • Pós-operatórios
  • Politraumatizados
  • Doenças degenerativas dos sistema neuromuscular
  • Equipa de Emergência Médica Intra-Hospitalar (EEMI), 24h/dia e os 7 dias da semana
  • Emergências metabólicas e neuroendócrinas
  • Anafilaxia e outras emergências imunológicas
  • Formação teórico-prática:
    • Cursos de Técnicas de Socorrismo a AO e Profissionais de Segurança e Alimentação
    • Curso de Suporte Avançado de Vida
    • Curso de Controlo de Infeção-cooperação com GCL-PPCIRA
    • Vigilância epidemiológica de doenças de comunicação obrigatória, gripe sazonal e infeções adquiridas em UCI

Outro Serviço importante é a formação na prática clínica aos cursos:

  • Licenciatura em Enfermagem alunos nacionais e de Erasmus
  • Especialização em Enfermagem
  • Mestrado Integrado em Medicina
  • Especialização em áreas de Medicina

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO
Programado na década de sessenta para substituir o então Hospital da Santa Casa da Misericórdia, o Hospital de Castelo Branco iniciou a sua construção em 1968 a qual foi concluída em 1975, e no dia 1 de Maio 1977 foi oficialmente inaugurado. O edifício principal do HAL é constituído por nove pisos, e a Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente encontra-se situada no 4º piso, um piso acima da Urgência, e no final de um corredor comum ao Bloco Operatório e ao serviço Central de Esterilização. A UCIP, encontra-se a funcionar desde janeiro de 1984. Inicialmente com cinco camas, reabriu em 19 de abril de 1998 após remodelação, com a lotação de oito camas, número que perdura até à presente data. Esta unidade recebe doentes provenientes do Distrito de Castelo Branco e não só, cujo estado é considerado crítico e portanto de alto risco, que podem subitamente apresentar falência grave das suas funções vitais, necessitando por isso de tratamentos complexos e de equipamentos de apoio de órgão (ventilação mecânica, hemodinâmica e diálise). Neste âmbito, permite a prestação de cuidados específicos e especializados quer médicos, quer de enfermagem.
A zona de cuidados propriamente dita, um espaço relativamente amplo, com temperatura e humidificação regulada e luz natural. Tem  a lotação de oito camas, distribuem-se numa sala em que o espaço de comunicação é comum e organizam-se em unidade aberta, sendo a área por unidade de doente de aproximadamente 25m2. Essas camas encontram-se ligadas a uma central de monitorização, sediada no Posto de Enfermagem, a qual faculta uma visualização direta e contínua de todos os doentes.

A vantagem e objetivo desta visualização direta é permitir uma vigilância mais ativa, sem perda de privacidade para o doente como a sua exposição a frequentes intervenções. A designação da UCIP foi alterada para Serviço de Medicina Intensiva (SMI) no regulamento interno de abril de 2014 da ULSCB. Está em projeto um quarto de isolamento para o espaço da unidade oito e uma saída de emergência para o espaço comum entre as camas quatro e cinco.
Todas as camas têm suporte ventilatório, monitorização invasiva e não invasiva. Todos os monitores do Serviço estão ligados a uma rede informática estruturada que permite acesso de qualquer ponto das instalações.Os registos clínicos do doente na UCIP são desde agosto de 2015 totalmente digitais. Os dados de ventilação e de manuseamento de fluidos também podem ser administrados na rede.


Serviço de Nefrologia

Diretor do Serviço – Dr. Ernesto Rocha
Chefe de Enfermagem – Enf. Marta Macedo

Médicos Especialistas

  • Dr. Rui  Alves Filipe
  • Drª. Catarina Santos
  • Drª. Raquel Chorão
  • Drª. Joana Coutinho

Médicos Internos

  • Dr. João Grilo
  • Dra. Lígia Ribeiro

Enfermeiros Diálise Peritoneal

  • Enfª Raquel Bargão
  • Enf Samuel Mateus

Enfermeiros Hemodiálise/Internamento

  • Enf. André Rodrigues
  • Enf. André Ribeiro
  • Enf.ª Carolina Fernandes
  • Enf. Fernando Castela
  • Enf.ª Filipa Barata
  • Enf.ª Graça Boga
  • Enf.ª. Guilhermina Lucas
  • Enf.ª Idalina Antunes
  • Enf.ª Jéssica Barata
  • Enf.ª Joana Antunes
  • Enf.ª Micaela Almeida
  • Enf.ª Neuza Mendes
  • Enf.ª Paula Milheiro
  • Enf. Paulo Barreto
  • Enf.ª Raquel Gestosa
  • Enf. Tomé Rebelo

Secretariado Administrativo
Fátima Antunes
Paula Batista

Assistente Social – Dr. António Vicente

Dietista – Dr.ª Isabel Pereira

Assistentes Operacionais

  • Ana Rita
  • Clementina Correia
  • Clara Dias
  • Elsa Rodrigues
  • Paula Mesquita
  • Sandra Vieira
  • Sandra Crespo
  • Julieta Justo

Horário de Funcionamento
Unidade de Hemodiálise
8:30h às 24.00h

Unidade de Internamento
Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital.
Informações – 15 horas

Consultas
Distribuídas todos os dias

Contactos
Unidade de Internamento: 272 000 232
Fax: 272 000 269
Email: nefro@ulscb.min-saude.pt

Carteira de Serviços
Assistência no Internamento
Consulta interna a doentes internados
Apoio permanente ao Serviço de Urgência

Consultas médicas diferenciadas
Nefrologia
Hipertensão
Transplante Renal
Acessos Vasculares
Diálise Peritoneal

Consultas de enfermagem diferenciadas
Pré-diálise
Pós-transplante
Esclarecimento
Diálise Peritoneal
Ecografia Renal
Ecodoppler de Acessos Vasculares
Mapa
Colocação de cateteres venosos centrais para hemodiálise
Colocação e remoção de catéteres tunelizados para hemodiálise
Colocação e remoção de catéteres de diálise peritoneal
Biópsia Renal Percutânea
Plasmaferése
Técnicas Dialíticas
Hemofiltração
Hemodiálise convencional
Hemodiafiltração
Hemodiálise de alto fluxo
SLED
Hemodiafiltração veno-venosa contínua
Diálise Peritoneal Contínua de Ambulatório
Diálise Peritoneal Automática
Diálise Peritoneal Intermitente

Estrutura Física
Unidade de Internamento – piso 6 e piso 8
12 camas
2 salas com 2 camas cada
2 quartos isolados com 1 cama
6 quartos no piso 6
Salas de apoio
Gabinete de Enfermagem
Gabinete da Direção do Serviço e de Chefia de Enfermagem
Sala Reuniões
Unidade de Diálise Peritoneal

Sala de agudos
Realização de pensos e técnicas (Ecografia Renal, Doppler do Acesso, Biópsias Renais, Cateterização venosa com controlo ecoguiado)
Equipa com 1 posto e 1 tomada de água de reserva para a realização de hemodiálise em contexto de urgência

Unidade de Hemodiálise
3 salas de tratamento:
Sala para doentes seronegativos
Sala para doentes positivos para AgHBs
Sala para doentes agudos e realização de técnicas
Sala de tratamento de águas
Sala de espera
Armazém
Copa
Vestiários

Consulta Externa Geral – Piso 3

Consulta no piso 8
1 gabinete

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO
O Serviço de Nefrologia foi criado em Março de 1992 e encontra-se instalado no 8º piso desde 1997; tem como fundador e Diretor de Serviço o Dr. Ernesto Rocha.

A procura constante de dinamizar o serviço e de procurar abranger a totalidade dos procedimentos específicos da especialidade, levou ao aumento progressivo dos seus recursos humanos e materiais. Em 1997 ocorreu a mudança da Unidade de Diálise e do Sector de Internamento para as atuais instalações (no 8º piso); em 2003 iniciou a atividade na área da Diálise Peritoneal, com instalações próprias para o efeito; em 2010 iniciou as Consultas de HTA e de Pós-Transplante, devidamente protocoladas e abriu o Hospital de Dia; em 2011 foram efetuadas obras para ampliação da Unidade de Diálise para 18 postos; em 2012 e em 2013 iniciou a colaboração com o Centro Hospitalar da Cova da Beira, EPE e Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE, respetivamente, com a abertura de um período de consulta semanal.

Atualmente realiza a generalidade dos procedimentos do âmbito da especialidade, excetuando a área da transplantação renal.

De acordo com a Rede de Referenciação Hospitalar de Nefrologia, é o centro de referência para os doentes nefrológicos do distrito de Castelo Branco e da Guarda. Encontra-se articulado com dois centros de diálise convencionados (Covilhã e Guarda), que juntamente com a Unidade de Diálise da ULSCB EPE, apoiam cerca de 250 doentes hemodialisados.

A atividade científica tem aumentado, com um número crescente de estudos apresentados e publicados em diversas áreas, de participações em ensaios multicêntricos e com a colaboração prestada à Universidade da Beira Interior (desde 2003) e ao Instituto Politécnico de Castelo Branco. O Serviço organiza ainda sessões clínicas, em regra, com periodicidade semanal e nas quais os internos do Serviço ou convidados apresentam casos clínicos, revisões casuísticas ou temas teóricos.


Serviço de Doentes Agudos Via Verde (SDAV)

O Serviço de Agudos e Vias Verdes encontra-se incorporado no serviço de Urgência e acolhe os utentes de todas as valências cujo internamento se considere indicado.

Informações de acolhimento:

  • Os seus objetos pessoais não poderão estar consigo, pois não poderemos garantir  a sua proteção.
  • A visita e o acompanhante da sua família e amigos é muito importante para o seu bem-estar.

Pode ter 3 visitas, em cada regime de horário, só podendo permanecer 1 pessoa de cada vez junto de si.

O horário das visitas é das 14h30 às 14h45 e das 19hoo às 19h15, diariamente.

As visitas não devem:

  • Insistir para visitar o doente quando o horário assim o impede;
  • Falar em voz alta, para não perturbar os doentes;
  • Entrar em zonas de acesso reservado ao pessoal hospitalar;
  • Fumar, comer ou beber no serviço;
  • Mexer nos dispositivos clínicos e/ou processos dos utentes;
  • Sentar-se na cama/cadeirão reservado aos doentes;
  • Trazer alimentos, bebidas ou bens para o doente, exceto se por indicação da equipa de saúde;
  • Utilizar telemóveis, ou outros dispositivos eletrónicos;
  • Visitar os doentes acompanhamento por crianças com menos de 12 anos, pois pode ser prejudicial à saúde da própria criança.
Responsável – Dr. João António Pinheiro Dias Freixo
Adjunto – Dr. Paulo Costa
Enfermeira Responsável – Enf. Lucília Bento



Serviço de Bloco Operatório
Diretor

Dr. Manuel Costa Mega

Enfermeiro Chefe

Dr. António José Ascensão Machado

Contactos

Email: bloco@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Consulta Externa

O Serviço de Consulta Externa localiza-se no Ambulatório I do Hospital Amato Lusitano em Castelo Branco.

Este Serviço dispõe de uma área administrativa na entrada, onde poderá proceder à marcação, confirmação e trâmites administrativos do seu processo. Dispõe ainda de vários gabinetes de consultas, áreas de tratamento médico-cirúrgico, e uma área de diagnóstico (audiologia).

Com a equipa de enfermagem da Consulta Externa poderá usufruir de uma consulta de enfermagem seguindo os critérios de referenciação, bem como participar nas ações de formação realizadas por colaboradores especializados (Projeto Mamãs Informadas e Projeto Prevenção no Feminino). Esta equipa colabora também com o Serviço de Imagiologia nas punções venosas periféricas sempre que solicitada.

Equipa – Enfª Chefe – Madalena Basílio

Enfermeiras Especialistas:

  • Teresa Serejo – Especialista Saúde Infantil e Pediátrica
  • Luísa de Deus – Especialista Saúde Materna e Obstétrica
  • Alexandra Rodrigues – Especialista Saúde Comunitária

Enfermeiras:

  • Maria Jesus Dias
  • Fernanda Romão
  • Mavilde Gonçalves
  • Aline Rodrigues
  • Manuela Nabais
  • Otília Courela
  • Ana Figueira

Assistentes Operacionais

  • Gracinda Ribeiro
  • Maria Santos
  • Fátima Roque

Horário de Funcionamento

De segunda-feira a sexta-feira:

  • Área administrativa: 8h – 18.30h
  • Consultas Médicas: 8h – 18h
  • Área de Enfermagem: 8h – 18h (com exceção das 6ªs feiras 8h – 16h)

Contactos

  • Geral272 000 272
  • Consulta Externa272 000 333
  • Enfermagem931 859 050

Serviço de Endocrinologia

Diretora – Cátia Margarida Dias Ferrinho

Contatos – Tef. 272 000 333 (C.Externa)

Patologias que podem ser referenciadas a Consulta de Endocrinologia
  • Hipertiroidismo
  • Tiroidite subaguda; tiroidite crónica com disfunção tiroideia
  • Nódulo(s) da tiroide (≥ 1cm e/ou características ecográficas suspeitas)
  • Diabetes mellitus
  • Hipoparatiroidismo
  • Hiperparatiroidismo
  • Insuficiência adrenocortical primária
  • Incidentaloma da supra-renal
  • Hiperaldosteronismo primário
  • Hipercortisolismo
  • Feocromocitoma
  • Hipogonadismo
  • Hirsutismo
  • Incidentaloma hipofisário (que não tenham sido alvo de estudo/diagnóstico prévio)

Serviço de Anatomia Patológica

Responsável: Dra. Maria Eugénia Monteiro André

Email: anatom.patol@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Imunohemoterapia

Responsável:

Dra. Maria Eugénia Monteiro André



Serviço de Estomatologia
Diretora

Dra. Ana Carla Morais Rogado Serra

Contactos

Email: estomatologia@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Imunoalergologia

Responsável do Serviço

  • Dr. Carlos Lozoya

Médicos Especialistas

  • Dr. Carlos Lozoya
  • Drª. Fernanda Marcelo

Elementos de Enfermagem

Edifício de Ambulatório (2 elementos diários, 1 no Hospital de Dia e 1 na Consulta de Pediatria, de distribuição rotativa)

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Consulta Externa

De Segunda-feira até Sexta-Feira no horário da manhã e terça-feira à tarde, com a seguinte distribuição:

  • Adultos: Quarta-feira (tarde) e Quinta-feira e Sexta-feira (manhã): Assistência a adultos maiores de 18 anos com patologias de foro alérgico suspeito ou confirmado
  • Crianças (até 18 anos): Terça-feira de manhã (Consulta de Pediatria/Alergologia), em equipa com a Médica Especialista em Pediatria

Hospital de Dia

Quarta-feira e Quinta-feira em horário de manhã e tarde (situado na própria Consulta Externa, distante apenas a 5 metros dos gabinetes das consultas e com fácil acesso ao Serviço de Urgência), onde é prestado apoio por um núcleo de 10 enfermeiras em rotação, com formação básica em técnicas de imunoalergologia e enfermagem de urgência/emergência.

Contacto

  • 272 000 272

Emails:

  • clozoya@ulscb.min-saude.pt
  • clozoya@fcsaude.ubi.pt

Informações gerais através do blogue: tenhoalergia@blogspot.com

Outras informações de interesse (boletim plíclinico) – www.rpaerobiologia.com

CARTEIRA DE SERVIÇOS

Consulta Externa

  • Abordagem de patologias do foro alérgico: rinite alérgica, conjuntivite, asma brônquica, dermatites atópica e de contacto (eczemas), urticária alérgica, angioedema hereditário, alergia a alimentos e medicamentos, patologias alérgicas ocupacionais, alergia ao veneno de himenópteros, esofagite/gastrite eosinofílica.
  • Educação dos doentes, no âmbito das patologias e terapêuticas de Imunoalergologia, particularmente no que diz respeito às técnicas de uso de inaladores para asma brônquica.
  • Realização dos testes cutâneos de alergia (por picada e intradérmicos).

Hospital de Dia

  • Administração de extratos para imunoterapia específica (“vacinas” anti-alérgicas).
  • Administração de extratos para imunoterapia específica no caso de alergia ao veneno de himenópteros (pautas de início tradicionais e “rush”).
  • Administração de anticorpos anti-lgE, em casos de doentes com asma brônquica grave e urticária crónica grave.
  • Realização de provas de provocação aberta, singularmente ou duplamente cegas, com alimentos e medicamentos.

ESTRUTURA FÍSICA

Para os procedimentos referidos, estão disponíveis, conforme a necessidade, 4 cadeirões e uma maca. Da mesma maneira conta com um carro de emergências devidamente equipado e regularmente revisto.

  • Apoio aos pisos de internamento nos diferentes Serviços do Hospital (incluindo o Serviço de Urgência) e aos diferentes Centros de Saúde quando solicitado.
  • Enfermaria:não dispõe de camas próprias, pelo que em certos casos em que os procedimentos a realizar precisarem de internamento do doente (dessensibilização  a medicamentos, provocações alimentares ou medicamentosas de alto risco ou biopsias cutâneas) dispõe de camas cedidas por outros serviços, nomeadamente Pediatria, Medicina Interna, Pneumologia, Cirurgia ou UCIP.
  • Colaboração com a Rede Portuguesa de Aerobiologia (RPA), realizando a manutenção semanal do colector polínico situado no telhado do HAL.
  • Troca de informações com os doentes e público em geral através do blogue: www.tenhoalergia.blogspot.com.
  • Brevemente terá começo a atividade de grupos de auto-ajuda com doentes com alergia alimentar.

Consulta Externa do HAL: Consultas e Hospital de Dia

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO

A prevalência de doenças alérgicas tem vindo a aumentar, de forma consistente, por todo o mundo. Estudos prévios mostram que a prevalência deste tipo de doenças é elevada no Distrito de Castelo Branco. Levando em linha de conta os cerca de 369.000 habitantes do nosso distrito (110.000 habitantes) e considerando um valor de prevalência de global de doenças alérgicas (cerca de 20%), poder-se-á esperar que cerca de 22.000 habitantes sofram de patologias alérgicas.

Com a intenção de dar atendimento médico aos habitantes da área de influência da ULSCB, foi criada em 2000 a Consulta de Imunoalergologia, englobada no Serviço de Pneumologia do Hospital Amato Lusitano, contando desde aquela altura com a atividade de um Médico Especialista na área. Desde setembro de 2003, a consulta passou a ser denominada Unidade de Imunoalergologia. Encontra-se englobada fisicamente dentro das Consultas Externas do HAL e consta de um Médico Especialista em Imunoalergologia (Dr. Carlos Lozoya Ibáñez), em funções desde aquela altura, além dos elementos de Enfermagem pertencentes também à Consulta Externa.

A Unidade de Imunoalergologia é o centro de referência para os doentes com patologias do foro alergológico da área de influência da ULSCB.

A Unidade está integrada na rede de ensino do Mestrado Integrado em Medicina da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior participando desde o ano letivo 2003/2004 no programa de formação do 2º e 5º ano (Módulo “Corpo Humano II”, Bloco de Sangue e Sistema Imunitário e Módulo “Estágio Clínico”, Curso Opcional de Imunoalergologia).


Serviço de Reumatologia
Responsável

Dr. Pedro Miguel Martins Azevedo Abreu

Contactos

Email: pabreu@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Pneumologia
Diretor

Dr. Gonçalo Carvalho Salvado

Contactos

Email: pneumologia@ulscb.min-saude.pt

Horário de Visitas

Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital

6º piso


Serviço de Dermatologia
Diretor

Dr. Francisco Saraiva Gil

Contactos

Email : dermatologia@ulscb.min-saude.pt

 

 


Serviço de Neurologia
Diretora

Dra. Amélia Maria Mendes Carvalho Guilherme

Contactos

Email: neurologia@ulscb.min-saude.pt

Horário de Visitas

Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital


Serviço de Pediatria/Neonatologia

Diretora do Serviço Pediatria/UCERN/Consulta de Desenvolvimento
Drª Almerinda Fortes Alves Silva

Enfermeira Responsável
Enfª Celeste Afonso Silva Nunes

Médicas Especialistas

  • Drª Maria Conceição Pereira – Responsável pela Urgência
  • Drª Maria de Lurdes Vicente – Responsável pelo Centro de Desenvolvimento da Criança
  • Drª Maria Fernanda Marcelo – Responsável pelo Berçário e Consulta de Alergologia
  • Drª Ana Gabriela Almeida – Responsável pela Consulta Externa e Telemedicina Cardiológica
  • Drª Paula Silvestre – Responsável pela Enfermaria na Pediatria

Enfermeiras

  • Enfª Fátima Santos
  • Enfª Teresa Barata
  • Enfª Helena Moreira
  • Enfª Cláudia Roque
  • Enfª Ilda Aparício
  • Enfª Sílvia Lucas
  • Enfª Isabel Lino
  • Enfª Liliana Afonso
  • Enfª Adriana Adelino
  • Enfª Ana Gomes
  • Enfª Tatiana Franco
  • Enfª Joana Dias

Secretariado Administrativo
Ivete Martins

Educadora de Infância – Dra. Inês Barroso
Dietista – Dr.ª Isabel Pereira

Assistentes Operacionais

  • Maria Adélia Afonso
  • Maria Conceição Belo
  • Maria José Cabarrão
  • Arminda Marques
  • Maria Fátima Naves
  • Ema Nunes

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

  • Horário regulamentado pelo Hospital para o Serviço de Pediatria.
  • As visitas decorrem exclusivamente no período das 14.30h às 16.30h. No período de internamento da criança fica acompanhada pelos pais/substituo informal. Apenas são permitidas mais duas pessoas no período das visitas de modo alternado.
  • Na UCERN, para além dos pais, são permitidas mais duas pessoas, (apenas avós, irmãos).
  • A admissão de uma criança numa unidade de internamento é fator de tensão emocional não só para a criança como também para os pais. A Humanização dos cuidados de saúde deve insistir na importância de atender às necessidades psicológicas da criança, valorizando a presença reconfortante dos pais/substituto informal. A qualidade dos cuidados deve ser contínua, humanizada e personalizada. o bem-estar físico, psíquico  e social deve constituir os referenciais permanentes da equipa multidisciplinar.
  • Durante o período de internamento a criança fica sob a responsabilidade de um Pediatra e diariamente e em cada turno é atribuído um enfermeiro.
  • As crianças são internadas através do Serviço de Urgência, Consulta Externa, Obstetrícia e Bloco Operatório.
  • À criança/pais/substituto informal, é dado o conhecimento das normas do serviço em linguagem apropriada, sendo um dos acompanhantes registado como responsável da criança, e a este são dadas informações relativas à situação clínica e tratamento a efetuar à mesma.
  • Não são dadas informações clínicas via telefónica.
  • As crianças são instaladas na enfermaria de acordo com a patologia apresentada e sempre que possível tendo em conta a idade da criança.
  • Ao lado de cada cama, existem armários e cadeirões reclináveis onde os pais/substituto informal, poderão repousar.
  • O serviço dispõe de roupa para criança, contudo poderão trazer a sua própria roupa e objetos pessoais.
  • As refeições das crianças hospitalizadas são servidas na sala de atividades/refeitório, desde que a situação clínica o permita.

Acompanhamento

  • Os pais/substituto informal, são incentivadas a participar nos cuidados ministrados à criança e acompanhá-la à realização de exames complementares de diagnóstico e ao Bloco Operatório (zona de receção).
  • Podem ainda permanecer conjuntamente com a criança no período das 8h às 20h e ser substituídos apenas por uma única pessoa. Entre as 20h e as 8h fica apenas um acompanhante.
  • Desde a admissão/acolhimento é fornecido aos pais um cartão de acompanhante devidamente identificado, para assim ser controlada a entrada e saída da instituição. Este cartão não é transmissível a nenhum outro familiar.
  • Um acompanhante desde  que permaneça junto da criança, tem direito às refeições (pequeno almoço, almoço e jantar), de forma gratuita no refeitório da instituição.

Contactos – Unidade de Internamento:
Pediatria – 272 000 210 / UCERN – 272 000 209
FAX – 272 000 257 (Hospital)
Email – pediatria@ulscb.min-saude.pt

CARTEIRA DE SERVIÇOS
O Serviço de Pediatria / UCERN – internamento
Destina-se ao internamento de crianças desde os 0 dias de vida até aos 17 anos e 364 dias segundo o despacho nº9871/2010.

Assim são assistidas neste serviço de internamento:

  • Recém nascido (RN), desde o nascimento até aos 28 dias na UCERN. (RN ou criança com necessidades de cuidados especializados/intensivos são transferidas para unidade central acompanhadas por INEM/pediátrico)
  • Crianças com necessidades de cirurgia geral, ortopedia, urologia e otorrino – (apenas são intervencionadas com idade superior a 7 anos – excecionalmente poderão ser intervencionadas crianças com idade >3 anos, dependendo do anestesista de serviço.
  • Crianças com as patologias:
    • Alergologia
    • Alterações de comportamento
    • Cardíaca
    • Crianças maltratadas
    • Distúrbios metabólicos
    • Gastroenterologica
    • Ginecologica
    • Infeto-contagiosa
    • Pneumologia
    • Problemas sociais
    • Reno-vesical

Hospital Dia – Serviço de Pediatria/UCERN
Realiza-se diariamente no serviço de Pediatria com sessões previamente agendadas pelo/a Pediatra.
Estas sessões abrangem várias intervenções como:

  • Administração de medicação, avaliação clínica/biometria, colheitas de espécimes para análise, exames diagnóstico médico, avaliação de sinais vitais, provas de tolerância alimentar e medicamentosa, vacinação extra plano vacinal vigente, algaliação, entubação naso/oro-gástrica, pensos e outros.

Consulta Externa (3º Piso)

  • Consultas de Pediatria geral de 2ª a 6ª feira, com o apoio de uma enfermeira do Serviço de Consulta Externa
  • Consulta de Desenvolvimento Infantil, que integra as seguintes valências:
    • Pediatria do desenvolvimento
    • Psicologia do desenvolvimento
    • Terapia da fala
    • Terapia ocupacional
    • Técnica de serviço social
    • Professora do ensino especial
    • Secretária clínica com atendimento de 2ª a 6ª feira das 8.30h – 16.30h
  • NHCJR (Núcleo Hospitalar de Apoio a Crianças e Jovens em Risco):
    • Pediatria
    • Psicóloga clínica
    • Assistente social
    • Enfermeira
  • Consulta de Alergologia
  • Consulta de Urologia
  • Consulta de telemedicina cardiológica pediátrica com apoio de cardiologista pediátrico do Hospital Pediátrico de Coimbra, às 2ª feiras das 14h – 17.30h

Serviço de Obstetrícia – Berçário (5º piso)
A equipa médica pediátrica apoia o berçário com visitas diárias aos RN, e todas as situações de urgência/emergência.
Serviço de Urgência (3º piso)
A equipa médica assiste diariamente o balcão de Pediatria, com o apoio de uma enfermeira.
Compete ao Pediatra assegurar as urgências internas no serviço de Pediatria, UCERN e Obstetrícia/berçário.

ESTRUTURA FÍSICA
Pediatria

  • 1 sala com 2 cama
  • 3 salas com 1 cama
  • 2 quartos isolados com 1 cama
  • 1 sala de reanimação
  • Salas de apoio
  • Gabinete de Enfermagem
  • Gabinete Médico
  • Sala de Computadores
  • Sala de atividades/refeitório para as crianças

UCERN

  • 2 salas incubadoras/berços
  • 1 sala de apoio médico/enfermagem

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO
O Serviço de Pediatria e o Serviço de Prematuros foi oficialmente inaugurado a 1 de Maio de 1977, após publicação do quadro orgânico de pessoal.
Inicialmente situado no 6º piso do então designado Hospital Distrital de Castelo Branco, com o pediatra, Dr. Dias de Carvalho como Diretor do Serviço. Desde 2011 tem como Diretora de Serviço, a Drª Almerinda Silva.
Em 2009 foi criada a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco que integra o Hospital Amato Lusitano com o Centros de Saúde de Castelo Branco, Vila Velha de Ródão, Idanha-a-Nova, Penamacor, Sertã, Proença-a-Nova, Oleiros e Vila de Rei.
O Serviço de Pediatria/UCERN – internamento, localizam-se na ala direita do 5º piso da ULS de Castelo Branco, com estruturas físicas distintos, sendo os recursos humanos únicos.


Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental

Diretora

Dra. Maria Antónia Baptista Pinto Bandeira Mateus Zamora

Enfermeiro Responsável

Enf. André Jason Mendes

Contactos

Telef. 272 000 113
Email : psiquiatria@ulscb.min-saude.pt

Horário de Visitas:

Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital.


Serviço de Gastrenterologia

EQUIPA
Diretor do Serviço: Dr. António José Duarte Banhudo
Chefe de Enfermagem: Enf. João Carlos Nunes

Médicos Assistentes Graduados
Dr. Rui  Martins de Sousa
Dr. José Tristan
Dr.ª Ana Caldeira

Médicos Assistentes
Dr. João Pinto

Médicos Internos da Especialidade
Dra. Diana Ramos
Dra. Joana Pereira
Dra. Inês Pestana
Dra. Marisa Linhares
Dr. Marco Pereira

Enfermeiros do Internamento
Enfª Fátima Roque
Enfª Fátima Santos
Enfª Helena Santos
Enfª Feliciana Marta
Enf. Vítor Pintassilgo
Enfª Anabela Gonçalves
Enfª Otília Carvalho
Enfª Idalina Ivo
Enfª Otília Caniça
Enfª Elisa Vaz
Enfª Isabel Lopes
Enf. Paulo Santos
Enf. Teresa Garcia

Enfermeiros da Unidade de Técnicas
Enf. Diamantino Grilo
Enf.ª Graça António
Enf.ª Sara Roque
Enf.ª Teresa Nunes
Enf.ª Cristina Nunes
Enf.º Rui Leitão
Enf.ª Wanda Oliveira

Secretariado Administrativo
Alexandre Rodrigues

Assistente Social Dr.º António Vicente

Dietistas

Dra. Isabel Pereira
Dra. Ana Rita Fernandes

HORÁRIO FUNCIONAMENTO
Unidade de Técnicas: das 8:30h às 17 horas para marcações
Técnicas programadas: das 8:30h – 15 horas
Técnicas urgentes: 24 horas /dia

Unidade de Internamento
Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital.
Informações Médicas: das 12.30h – 13.30 horas
Informações Gerais a partir das 11.00 horas

Consultas
Distribuídas pelo período da manhã 2ªs e 6ªs e tarde 3ªs 4ªs 5ªs feiras

Contactos
Unidade de Técnicas: 272 000 133
Unidade de Internamento: 272 000 131
Fax: 272 000 199
Email gastro@ulscb.min-saude.pt e gastro.exames@ulscb.min-saude.pt

CARTEIRA DE SERVIÇOS

  • Consultas
  • Gastrenterologia
  • Hepatologia
  • Doença Inflamatória Intestinal
  • Proctologia
  • Técnicas de Diagnóstico
  • Endoscopia digestiva alta
  • Colonoscopia
  • Rectosigmoidoscopia flexível
  • Videocápsula
  • Ecografia abdominal e endoanal /endorectal
  • Ecoendoscopia
  • Biopsias
  • Punções
  • Técnicas de Terapêutica
  • Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (diagnóstico e terapêutica)
  • Esfincterotomia endoscópica
  • Extração de cálculos
  • Dilatação de estenoses biliares
  • Colocação de próteses biliares e pancreáticas
  • Drenagens orientadas por ecografia ou ecoendoscopia
  • Polipectomia
  • Mucosectomia
  • Extração de corpos estranhos
  • Colocação de Clipes e Endoloops
  • Tatuagem
  • Argon
  • Laser
  • Tratamento de lesões não varicosas
  • Laqueação e esclerose de varizes esofágicas
  • Colocação de próteses no tubo digestivo
  • Dilatação de estenoses no tubo digestivo
  • Colocação de gastrostomia percutânea
  • Colocação de sondas naso-jejunais
  • Injeção de toxina botulínica
  • Dilatação pneumática
  • Laqueação de hemorróidas
  • Tratamento de fissuras anais

ESTRUTURA DE FÍSICA

Unidade de Internamento – piso 2

  • 12 camas,
  • 4 salas com 2 camas /cada,
  • 1 quarto isolado com 1 cama
  • 1 sala com 3 camas
  • Salas de apoio
  • Gabinete de Enfermagem
  • Gabinete da Direção do Serviço e de Chefia de Enfermagem
  • Biblioteca / sala de Reuniões
  • Unidade de Técnicas – piso 2
  • Sala de Endoscopia 1
  • Sala de Endoscopia 2
  • Sala de Ecoendoscopia / Técnicas de diagnóstico e intervenção em ecografia
  • Sala de Ecografia e Proctologia
  • Sala de desinfeção e reprocessamento de equipamentos
  • Sala de Recobro
  • Sala de Relatórios
  • Sala de Espera
  • Sala do Secretariado Administrativo
  • Salas de apoio.
  • Unidade de Litotricia – Serviço de Urologia – piso 0
  • Utilizada para Técnicas que necessitam de fluoroscopia

Consulta Externa Geral – Piso 3

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO

O Serviço de Gastrenterologia foi fundado em 1984, ocupando as instalações que estavam destinadas a um Serviço de Doenças Infecto-Contagiosas, no piso 2 do então designado como Hospital Distrital de Castelo Branco, sendo que o espaço foi adaptado para incorporar uma pequena Unidade de Técnicas de Endoscopia e uma Unidade de Internamento com 14 camas. O primeiro Especialista e Diretor do Serviço foi o Dr. João Castelo Branco Silveira que foi o responsável pelo arranque do projeto. A  formação de Médicos Especialistas em Gastrenterologia foi identificada desde o início como indispensável para o crescimento e dinamização do Serviço e assim, obtido o reconhecimento da Idoneidade e Capacidade Formativa pela Ordem dos Médicos o primeiro Interno da Especialidade iniciou funções em Outubro de 1985. Esta atividade formativa veio a revelar-se como pedra basilar e assim, até 2014, concluíram a sua formação em Gastrenterologia, neste Serviço, 12 especialistas (destes 5 integram o quadro médico) e estão em fase de formação 4.

A partir de 1998 o Serviço foi dirigido pelo Dr. António Duarte Banhudo que mantém as funções até hoje.

Foram efetuadas várias remodelações na estrutura física procurando adaptar o Serviço às necessidades de evolução técnica crescente e da procura ampliando o espaço destinado à Unidade de Técnicas de Gastrenterologia.

Em 2009 foi criada a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco que integrou o Hospital Amato Lusitano com os Centros de Saúde de Castelo Branco, Vila Velha de Ródão, Idanha-a-Nova, Penamacor, Sertã, Proença-a-Nova, Oleiros, Vila de Rei.

A diferenciação técnica do Serviço tem justificado a procura de colaboração por outras Unidades Hospitalares no âmbito, principalmente, da ecoendoscopia, endoscopia bilio-pancreática, colocação de próteses e videocápsula (ULS da Guarda, C. H. Cova da Beira, ULS do Norte Alentejano, C.H. Médio Tejo, C.H. Leiria – Pombal).

Em 2006 foi obtida  a Certificação de Qualidade pela norma ISO 9011:2008, sendo o primeiro Serviço de Gastrenterologia Português a consegui-lo após período de elaboração interno do Sistema de Gestão da Qualidade, a necessidade de adesão foi percepcionada pela Direção do Serviço, apoiada pelo Conselho de Administração e constituiu um marco assinalável. Em 2013 o Conselho de Administração da ULS de Castelo Branco optou por iniciar processo de Acreditação, no âmbito da Direção Geral de Saúde e o Serviço diligenciou a migração para este sistema, atualmente encontra-se já acreditado pelo modelo ACSA.

O Serviço está integrado na rede de ensino da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior participando no programa de formação do 4º Ano – Clínica Médica e  Cirúrgica I / Bloco Digestivo durante 5 períodos de 5 semanas por ano letivo, com 1 Professor e  4 Assistentes convidados.

Documentos disponíveis


Serviço de Cardiologia
Directora

Dra. Gisela Ana Paula Bragança

Enfermeira Chefe

Enf. Maria Manuela Bértolo Gomes

Contactos

Email: cardiologia@ulscb.min-saude.pt

Horário de Visitas

Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital

6º piso


Serviço de Medicina Interna
Diretora
  • Dra. Maria Eugénia Monteiro André – Assistente Hospitalar Graduada Sénior de Medicina Interna
Vogais
  • Enf. Carlos Manuel Rosa Almeida – Enfermeiro Gestor – Especialista Enfermagem Médico-Cirúrgica
  • Dra. Sara Gaspar – Técnica Superior
Contactos

Ex.: 2411/2519/2230/2231/7555 e

Horário de Visitas

Todo o doente internado tem direito a ser acompanhado por um familiar ou referente direto, entre as 12 horas e as  20 horas. No caso do doente internado na UAVC’S e, por motivos clínicos, não se aplica este direito. A permanência dos familiares deve ser estimulada para que seja possível o estabelecimento de vínculos afetivos entre eles. Também é estimulada a visita em horário de visitas, das 14h30m às 17 horas e das 19 às 20 horas.

Horário Transmissão de Informação Clínica: Dias úteis – 12h às 13h

Organização e funcionamento

Presta cuidados de saúde de forma integral a pessoas com:

  • Pluripatologia
  • Sintomatologia de origem desconhecida
  • Doenças sistémicas ou com manifestações em diversos órgãos
  • Doenças relativas a especialidades médicas que ainda não estão estabelecidas legislativamente, por exemplo: Acidentes Vasculares Cerebrais, Fatores de Risco Cardiovascular, Geriatria, Paliativos, Doenças Infecciosas e Doenças Auto-imunes. Por isso, muitas vezes necessita de colaboração técnica e profissional de especialidades e profissionais concretos.

Os doentes atendidos na Consulta Externa são seguidos pelos médicos do serviço de internamento. Não há lista de espera para consultas superior ao contrato programa da ULSCB, EPE.

No internamento são mais frequentes os cuidados a doentes geriátricos e/ou pluripatológicos e Acidentes Vasculares Cerebrais, procedentes geralmente do serviço de Urgências, mas também para estudo de doentes procedentes da Consulta Externa e específicos de cada uma das Unidades de Hospital Dia (Unidade de Administração de Citostáticos e Unidade de Saúde de Diabetologia).

A elaboração de protocolos, estudados e revistos periodicamente e a habitual assistência massiva de médicos e enfermeiros às sessões clínicas, têm contribuído para conseguir um método de trabalho uniforme, respeitando a idiossincrasia de cada profissional. É de extrema importância o método baseado na decisiva transcendência da história clínica, exame físico, juízo diagnóstico, lista de problemas e exames complementares razoáveis e de menor agressividade e custo.

Recursos Humanos

Assistentes Hospitalares graduados seniores de Medicina Interna

  • Dr. João Freixo

Assistentes Hospitalares graduados de Medicina Interna

  • Dra. Rita Resende

Assistentes Hospitalares de Medicina Interna

  • Dr. Manuel Carvalho
  • Dra. Maria Eufémia Calmeiro
  • Dra. Raquel David
  • Dr. Alexandre Louro
  • Dra. Paula Paiva
  • Dra. Sara Sintra
  • Dra. Paulina Mariano
  • Dr. Rui Isidoro

Especialistas Hospitalares de Medicina Interna

  • Dra. Isabel Maria Cardoso Antunes

Internos de Especialidade de Medicina Interna

  • Dra. Beatriz Ribeiro
  • Dra. Catarina Forra
  • Dra. Diana Brites
  • Dra. Fábia Cruz
  • Dra. Filipa Leitão
  • Dr. Guilherme Salavisa
  • Dra.  Joana Carvalho
  • Dra. Marina Pereira
  • Dra. Mafalda Ferreira
  • Dra. Olga Guene
  • Dra. Soraia Silva
  • Dr. Rui Parente

Enfermeiros Especialistas

  • Ana Sofia Levita Antunes
  • Andreia Lopes Domingues
  • Carlos Alberto Oliveira Gonçalves
  • Cláudia Filipa Lopes Simão Barroso Monteiro
  • Gisela Carla Dias Martins
  • Helena Isabel Henriques Botelho Domingues
  • Hugo Miguel Ribeiro Caldeira
  • Joana Nunes Franco Grilo
  • João Pedro Figueiredo Domingues
  • Leonel Martins Grencho
  • Soraia Helena Cardoso Tavares Campos

Enfermeiros

  • Alexandre Miguel Paralta
  • Ana Catarina Ferreira
  • Ana Catarina Marques
  • Ana Cristina Taborda
  • Ana Luísa Roseiro
  • Ana Mónica Lourenço
  • Ana Raquel Romano
  • Ana Rita Matos
  • Anabela Castilho Campos
  • Andreia Filipa Victor
  • Carlos Manuel Almeida
  • Cármen Luísa Martins
  • Catarina Alexandra Rodrigues
  • Catarina Almeida Nunes
  • Catarina Louro Coelho
  • Cátia Simão Martins
  • Cláudia Silva Nunes
  • Cláudia Patrícia Monteiro
  • Daniela Filipa Gonçalves
  • Débora Gonçalves Costas
  • Filipe António Nunes
  • Florbela Maria Vicente
  • Gina Maria Páscoa
  • Joana Batista Sousa
  • Joana Lança Manteigas
  • João José Martins
  • Lucília Maria Ramos
  • Lurdes Catarina Ramalho
  • Marco António Rodrigues
  • Marília Antunes Pereira
  • Marta  Fazenda Luís
  • Raquel Catarina Cavalheiro
  • Ricardo Ventura Barroso
  • Rui Filipe Alves
  • Sílvia Maria Rato
  • Sílvia Maria Gomes
  • Susana Margarida Leitão
  • Susana Margarida Tomás Santo
  • Tânia Filipa Geraldes
  • Teresa Sofia Laranjo
  • Tiago José Almeida
  • Tiago Miguel Lopes
  • Vânia Carina Vaz

Assistentes Operacionais

  • Ana Cristina Augusto Almeida
  • Ana Isabel Caria Leitão
  • Ana Olinda Lourenço Marques dos Santos
  • Anabela Ferreira Pereira Toscano
  • Bruno Filipe Alves Amândio Pinto
  • Bruno Manuel Marques Rodrigues
  • Carla Alexandra da Silva Monteiro
  • Carminda Maria Jesus Sanches
  • Maria Conceição Martins
  • Maria Fátima Ramos dos Santos
  • Maria Lurdes Rodrigues Carrondo Galante
  • Maria Emília Domingos Teixeira
  • Maria Leonor Araújo Robalo Correia
  • Marlene do Almurtão Oliveira Antunes Coelho
  • Paula Maria Antunes Dias Machado
  • Paula Andreia Amaral Rebocho
  • Silvana Cristina Silvares da Mota
  • Sílvia José Ramos Carreiro
  • Susana Cristina Cruz Alves Ribeiro
  • Viviane Barbosa Cândido Dias

Assistentes Técnicos

  • Carina Matos
  • Irene Fonseca
  • Rodrigo Gonzalez
  • Ricardo Caio

Estrutura e Recursos Técnicos do Serviço

Localiza-se no 7º PISO, do Hospital Amato Lusitano, ULSCB, EPE e, nele, estão a Unidade de Internamento de AVC’s ,Unidade Conforto, Unidade Conforto Diferenciados e Unidade de Conforto Especiais.

Estrutura e Recursos Características
Número de Camas 52 32 camas de cuidados agudos, 6 camas de cuidados de conforto e 10 na U AVC’s / 4 camas Cuidados Diferenciados / 3 camas Unidade conforto / 3 camas Cuidados Especiais.
Vestiários 03 Destinados ao fardamento (feminino, masculino e médicas) para entrar no serviço e guardar pertences. Possui cacifos para guardar roupas e pertences.
Unidade de AVC’s 01 Destinada a internamento de doentes com o diagnóstico clínico de AVC e com exame imagiológico concordante com a clínica.
São considerados prioritários os seguintes casos: – AVC hemorrágico;
– AVC isquémico;
– AITConta com equipamentos diversos (monitores multi-parametros, bombas e seringas de infusão, aspiradores, rede de gases, etc.).
Sala do Secretariado Clínico 01 Destinados ao trabalho administrativo do serviço, com computador.
Sala de lixos e roupa suja 02 Destinado a abrigar os sacos com roupas usadas e resíduos hospitalares, etc.
Sala de tratamentos 02 Destinada à realização de técnicas terapêuticas e diagnosticas invasivas.
Conta com armários para guardar materiais, medicamentos, soros e tem lavatórios.
Sala de preparação de

Terapêutica

02 Destinada à preparação de medicamentos, manipulação de soluções estéreis (por ex.: soros).
Conta com armários para guardar materiais, medicamentos e soros, lavatório e frigorífico.
Carro de Emergência 02 Para utilizar em caso de Emergência com desfibrilhador. Está na sala de tratamentos.
Sala de reunião da equipa de enfermagem 02 Espaço para estar e refletir continuidade da informação da equipa de Enfermagem. Conta com TV, sofá, cadeiras, mesa e computadores.
Sala de reunião da equipa médica 02 Espaço para a equipa de médica. Conta com cadeiras, mesas e computadores.
Sala de despejos 02 Destinado a abrigar urinóis e arrastadeiras desinfetadas, com máquina de lavagem e desinfeção de arrastadeiras e zona de despejos.
Sala da Direção Médica 01 Destinada ao trabalho administrativo da Diretora do serviço, com computador.
Sala da chefia de Enfermagem

Sala para Informações e Ensinos

02

 

01

Destinada ao trabalho administrativo do serviço de Enfermagem, com computador.

 

Com Mesa, cadeiras armários e TV

Outros recursos tecnológicos

 

Equipamentos como bombas e seringas de infusão venosa, oxímetros de pulso multi-parâmetros, aparelhos de sinais vitais, frigorífico, glucometros cutâneos e outros.

Carteira de Serviços

Unidade de Internamento de cuidados agudos

Critérios de admissão

  • Internamento de doentes adolescentes e adultos
  • Doentes pluripatológicos
  • Aparelho Cardiovascular
    • Insuficiência Cardíaca (IC) descompensada
    • Cardiopatia isquémica crónica
    • Arritmias tipo: Fibrilhação auricular (FA) com Resposta ventricular (RV) rápida, FA com RV lenta
    • Crise hipertensiva
  • Aparelho Respiratório
    • Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC)
    • Broncoespasmo
    • Pneumonia adquirida na comunidade
    • Síndrome Febril relacionada com retenção e secreções
    • Infeções respiratórias víricas.
  • Endocrinologia
  • Aparelho Digestivo
    • Doença péptica
    • Hepatopatías descompensadas
    • Gastroenterite aguda com alteração do estado geral e equilíbrio hidroelectrolitico que necessite aporte intravenoso
  • Aparelho Urinário
    • Insuficiência renal crónica reagudizada
    • Insuficiência prerrenal aguda por desidratação
    • Pielonefrite aguda
  • Sistema Termoregulador
    • Síndrome Febril com foco conhecido e alteração do estado geral
    • Patologia relacionada com o calor
  • Miscelânea
    • Alterações hidroeletrolíticas
    • Intoxicações que não necessitem técnicas de suporte vital

Doentes para estudo

  • Quadro clínico de alteração do estado geral
  • Insuficiência cardíaca, de etiologia desconhecida
  • Síndrome Febril agudo sem foco claro
  • Estudo de Lesões ocupando Espaço, reveladas em imagiologia: Nódulos pulmonares/Lesões hepáticas ou cerebrais/Ocupação retroperitoneal/Mediastino
  • Síndrome confusional agudo
  • Alterações analíticas que requerem estudo e tratamento hospitalar: Hiponatremia, Hipercalcemia grave, Rabdomiolise…
  • Síndrome anémico, Pancitopenia
  • Estudo de derrame pleural

Unidade de Internamento de cuidados de conforto

Critérios de Admissão

  • Doentes em fase agónica;
  • Doentes portadores de doença oncológica em fase avançada;
  • Doentes com patologia respiratória, hepática, cardiovascular, cerebrovascular ou renal em fase avançada refractária a qualquer tratamento em que o plano de cuidados deverá incidir no controlo sintomático e apoio á família promovendo a melhor qualidade vida possível;
  • Doentes portadores de Demências com Agudização de sintomas

Unidade de internamento de AVC’s

Critérios de Admissão

  • Acidente isquémico ou hemorrágico com menos de 24 horas de evolução. Poderão ser admitidos doentes cujo inicio dos sintomas ocorreram há mais tempo no caso de instabilidade neurológica ou hemodinâmica.
  • Acidentes isquémicos transitórios (AIT) de repetição ou com risco elevado de recorrência (cardioembolismo e estenose carotídea)
  • Sem limite de idade.

Conta com a equipa de Medicina Física e de Reabilitação, apoio da Neurologia e da Terapeuta da Fala.

Consulta Externa de Medicina Interna

As consultas de Medicina Interna realizam-se no 3º piso, serviço de consulta externa geral do Hospital Amato Lusitano por todos os médicos do serviço a tempo parcial. O serviço de Medicina Interna presta consultas nas seguintes áreas:

  • Medicina Interna
  • Medicina Interna Urgente
  • Diabetologia
  • Desabituação Tabágica
  • Doenças Auto-Imunes
  • Doenças de Sangue
  • Patologia Respiratória
  • Pós AVC e fatores de Risco
  • Oncologia Médica
  • Hipocoagulação
  • Medicina / Insuficiência Cardíaca
  • Medicina / IHT
  • Medicina / PDCC
  • Medicina / Pós Covid-19

Nas consultas de Medicina Interna atendem-se doentes em primeiras consultas (procedentes de Cuidados de saúde primários ou referidos de consultas de Urgências ou outros Serviços hospitalares) e consultas subsequentes (altas do internamento, geralmente pluripatológicos, insuficiência cardíaca, análise dos resultados de exames auxiliares de diagnóstico para tomar decisões clínicas, etc.).

A Consulta de Medicina Interna tem protocolos assistenciais de patologias:

  • anemia
  • leucocitose
  • leucopenia
  • trombocitopenia
  • púrpura
  • eritema nodoso
  • adenopatias
  • deterioração do estado geral
  • edemas
  • estudo de doente com trombofilia
  • despistagem de doença sistémica
  • poliartralgias
  • síndromes febris
  • etc.

São utilizadas as orientações clínicas (NOC’s) das Sociedades Portuguesas de Medicina Interna (SPMI), Cardiologia (SEC) e Diabetologia (SPD), etc. para patologias comuns tais como:

  • diabetes mellitus
  • dislipidemia
  • hipertensão arterial
  • insuficiência cardíaca

Serviço de Patologia Clínica
Responsável – Dra. Sandra Catarina Ressurreição Paulo
Responsáveis de Áreas / Secções
  • Responsável de Imunoquímica – Dra. Sandra Paulo
  • Responsável de Biologia Molecular – Dra. Sandra Paulo
  • Responsável de Hematologia – Dr. Óscar Matos
  • Responsável de Microbiologia – Dr. Tiago Costa
Coordenadora dos TDT de Análises Clínicas e de Saúde Pública
  • Técnica Patrícia Cardoso Vaz Fernandes
Contatos

Serviço de Imagiologia

Responsável

Dra. Maria Eugénia Monteiro André

Técnico Coordenador

Raul Manuel Salavessa Fontes

Contatos

Serviço de Medicina Física e Reabilitação
Diretora

Dra. Guida Maria Duarte Vicente Barata

Contactos

Email : mfr@ulscb.min-saude.pt


Serviço de Urologia
Responsável

Dr. Alberto Benjamim

 Enfermeiro Chefe

Enf. José Valdemar Silva Rodrigues

Médicos Especialistas
  • Dr. Alberto Luciano Benjamim
  • Dr. Henrique Igreja Dinis
Enfermeiros do Internamento
  • Enf.ª Eva Frade
  • Enf.ª Deolinda Antunes
  • Enf.ª Cristina Chaves
  • Enf.º Francisco Silva
  • Enf.ª Fátima Peres
  • Enf.º Fernando Isca
  • Enf.ª Conceição Ramos
  • Enf.ª Fátima Freire
  • Enf.ª Zélia Rosa
  • Enf.ª Lucinda Batista
  • Enf. Vitor Marafão
  • Enf. ª Sandra Aires
  • Enf.ª Ana Sofia Marques
  • Enf.ª Celina Oliveira
Assistentes Operacionais
  • Maria Carmo Fernandes
  • Maria Graça Ladeira
  • Sandra Bastos
  • Iria Galvão
  • Maria Isabel Gonçalves
  • Maria Lopes
Secretariado Administrativo

Fernanda Maria Paula Ventura

Assistente Social

Dr. António Vicente

Dietista

Dra. Ana Rita

Farmacêutica

Dra. Maria do Carmo

Contatos
  • Internamento: 272 000 244
  • Unidade de Litotrícia: 272 000 11
  • Email: urologia@ulscb.min-saude.pt
  • Email: urohal2011@gmail.com
  • Blog: http://enfermagemurologica.blogspot.com/
Horário de Funcionamento
  • Unidade de Técnicas – 4ª e 5ª feiras das 8h-16h
  • Técnicas Urgentes – 24h
  • Unidade de Litotrícia – 4ª feira das 8h-16h
  • Consultas: Urologia – de 4ª a 6ª feira  às 8h.30m
  • Oncologia Urológica – 5ª feira às 10h
  • Urolitíase – 4ª feira às 10h
  • Andrologia – 4ª feira às 14h
  • Hospital de Dia – 8-16h
  • Secretariado – 9h -17h.30’ – de 2ª a 6ª feira
  • Horário de Visitas – Visitas dentro do horário regulamentado para o hospital
Carteira de Serviços

Consultas: andrologia, oncologia urológica, urolitíase, urologia, enfermagem Urológica

Técnicas: biopsia vesical e transretal, colocação de cistocateter, colocação e extração de duplo j, ecografia pélvica e transretal, cistoscopia, extração de cálculos renais, extração de corpos estranhos, laqueação de hemorragias vesicais, nefrostomia, urofluxometria, Injeção intravesical de toxina botulínica.

Técnicas de Enfermagem Diferenciada: administração de acetato de leuprorrelina, ensinos no âmbito urológico, execução de pensos de ambulatório, prevenção de problemas urológicos, renovação de cistocateter.

Cirurgias: cavernosotomia, circuncisão, cistectomia radical, dilatação do uréter, fragmentação de cálculos, frenuloplastia, hidrocelectomia, implantação de uréter, nefrectomia radical e parcial, nesbit, nefrolitotomia percutânea, orquidectomia, penectomia, plastia da uretra, prostatectomia retro púbicas, prostatectomia radical, resseção transuretral vesical, resseção  transuretral da próstata, ureteropielotomia, ureterorenoscopia (diagnóstica ou terapêutica), ureteroscopia (diagnóstica e terapêutica), varicocelectomia.

Estrutura Física

Internamento – piso 8, ala poente 13 camas 5 quartos com 2 camas cada e wc completo 3 quartos com 1 cama cada e wc completo 1 sala de recuperação pós-cirúrgica para 2 camas 2 gabinetes clínicos 1 sala de enfermagem 1 sala de trabalho de enfermagem 1 sala de pensos 2 wc para os funcionários 1 sala de despejos 1 stock 2 vestiários 1 gabinete do Enfermeiro Chefe 1 gabinete de acolhimento de utentes e familiares/ consultas 1 gabinete administrativo 1 copa 1 refeitório/sala de estar

Técnicas – piso 8

1 sala de técnicas urológicas 1 wc para os utentes 1 arrecadação/ desinfeção de material

Unidade de Litotrícia – piso 1

  • 1 sala de controlo
  • 1 sala do litotritor
  • 3 wc para os utentes
  • 1 gabinete administrativo
  • 1 sala de espera
  • 1 vestiário para os utentes
  • 1 gabinete clínico
  • 1 vestiário para os profissionais
  • 1 wc para os profissionais
  • 1 sala de desinfeção
  • 1 sala de recobro com 3 camas
Patologias a referenciar à Consulta de Andrologia
  • Disfunção erétil
  • Esterilidade masculina
  • Hipogonadismo primário e secundário
  • Varicocelo
  • Ejaculação prematura
  • Falta de líbido
  • P/ vasectomia
  • Doenças sexualmente transmissíveis
  • Doença de Peyronie
Descrição do Serviço

O Serviço de Urologia iniciou a sua atividade em 1987, sendo o fundador o Sr. Dr. Armando Diniz . Atualmente o serviço é dirigido pelo Sr. Dr. João Fonseca. Em 1989 o serviço foi enriquecido com uma unidade de urodinâmica e em 2006 com uma unidade de litotrícia extracorpórea por ondas de choque.  Este serviço é o centro de referenciação para o utente urológico do distrito de Castelo Branco e Guarda. Presta também colaboração à Universidade da Beira Interior e ao Instituto Politécnico de Castelo Branco e Leiria.  Encontra-se instalado no 8º piso, lado direito, com a lotação de 13 camas distribuídas por 9 enfermarias.

Poster Disfunção Sexual

Folheto informativo – UROL-MOD.12.01 – Prevenção para recorrência de pedras nos rins


Serviço de Anestesiologia
Directora

Dra. Alexandra Fonseca Amaral

Contactos

272 000 188 (Bloco Operatório)

Carteira de Serviços

Anestesiologia Clínica:

  • Bloco Operatório Central, tem 3 salas de operações, onde são praticados os atos anestésicos para intervenções cirúrgicas nas especialidades de Cirurgia Geral, Ortopedia e Traumatologia, Ginecologia e Obstetrícia, Urologia e Otorrinolaringologia.
  • Unidade de Cirurgia Ambulatória, onde são praticados os atos anestésicos para as várias intervenções cirúrgicas que não carecem de internamento.
  • Bloco de Partos da Maternidade, onde é efetuada analgesia do trabalho de parto.
  • Exames Complementares de Diagnóstico onde se executa o apoio anestésico para exames complementares de diagnóstico e terapêutica na especialidade de Gastrenterologia.

Medicina Peri-operatória:

  • Existe uma Consulta de Anestesia onde são triados e avaliados os doentes que serão sujeitos a intervenção cirúrgica no Hospital.
  • Na Unidade de Cuidados Pós-Anestésicos faz-se a avaliação e otimização da condição médica dos doentes depois das intervenções cirúrgicas, tratando as complicações pós-operatórias imediatas e controlando a analgesia do pós-operatório.

Dor Crónica e Medicina Paliativa:

  • Integrada no Serviço de Anestesiologia, a Unidade de Dor Crónica e Medicina Paliativa, agrega a Consulta Externa de Dor Crónica, a Consulta Externa de Medicina Paliativa e a Equipa Intra-Hospitalar de Suporte em Cuidados Paliativos.

Urgência:

  • Há uma equipa anestésica em permanência no Hospital que intervém nas cirurgias urgentes e na analgesia de trabalho de parto. Por vezes atua também em situações de reanimação no Serviço de Urgência.

Serviço de Otorrinolaringologia
Diretora

Dra. Natércia Martins Silvestre

Contactos

Email: otorrino@ulscb.min-saude.pt

Horário das Visitas

Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital

4º piso


Serviço de Obstetrícia/Ginecologia
Diretor – Dr. Humberto Maurício Batista Tomé
Enfermeiro Chefe – Enf. Jorge Mendes
Contatos – Email: ginecologia@ulscb-min-saude.pt
Horário de Visitas – Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital – 5º piso

Informações

Durante a gravidez a família precisa de tomar muitas decisões. Uma das mais importantes é escolher o local onde o filho vai nascer. O local escolhido deve oferecer muita segurança para a mãe e bebé, desde o momento em que dão entrada até à alta.

A nossa Maternidade conta com profissionais especializados na área obstétrica e neonatal 24 horas por dia.

Conta com uma equipa multidisciplinar composta por obstetras, enfermeiros, na sua maioria especialistas em Obstetrícia, Pediatras, Anestesistas, Assistente Social, Administrativos, Psicólogo e Dietista.

1- O que deve trazer para a Maternidade

Para a mãe:

  • Camisas de manga curta e se possível abertas à frente;
  • Robe;
  • Cuecas de algodão ou descartáveis;
  • Soutien de amamentação;
  • Faixa abdominal;
  • Produtos de higiene;
  • Chinelos de quarto e de plástico;
  • Medicação de domicílio;
  • Sacos de plástico.

Para o bebé:

  • Conjuntos de roupa interior e exterior;
  • Gorro e botinhas;
  • Fraldas descartáveis;
  • Fraldas de pano;

Documentos:

  • Bilhete de identidade;
  • Cartão do grupo de sangue;
  • Boletim de Saúde da grávida;
  • Cartão de utente do SNS;
  • Análises, ecografias e todos os exames da gravidez.

Deixar preparado em casa:

  • Cadeira de transporte do recém-nascido;
  • Roupa e sapatos para a mãe.

O que não deve trazer para a maternidade:

  • Jóias;
  • Quantias avultadas de dinheiro.

2- Contate imediatamente a maternidade se durante a gravidez surgir:

  • Perda de sangue pela vagina;
  • Perda de líquido pela vagina;
  • Corrimento vaginal com comichão/ardor;
  • Dores abdominais;
  • Ausência ou diminuição dos movimentos ativos fetais;
  • Tensão arterial acima de 140/90 mm Hg;
  • Dores de cabeça persistentes;
  • Alterações da visão;
  • Dores de estômago intensas e/ou vómitos;
  • Tremores e suores;
  • Arrepios ou febre;
  • Dor/ardor quando urina.

Telefone da Maternidade da ULS de Castelo Branco – Hospital Amato Lusitano: – 272 000 202

Folhetos Informativos


Consulta Externa

O Hospital Amato Lusitano dispõe de diferentes consultas de especialidades médicas e cirúrgicas de que o doente habitualmente necessita. Quando não existir a consulta de que necessita, o próprio hospital encaminhá-lo-á. O acesso às consultas externas faz-se através do médico de família ou do próprio hospital, havendo consultas com protocolo próprio.

Como Marcar?

  •  Através do seu médico de família (AlertP1)
  •  Pessoalmente, na secretaria da consulta externa (Sub-sistemas)

O que Necessita?

  •  Cartão de Utente
  •  Cartão do Hospital

No Dia da Consulta

Deve confirmar a sua presença, através do sistema eletrónico de encaminhamento e chamada de doentes, instalado à entrada do Serviço de Consulta Externa. Guarde a sua senha até sair do Hospital.

Deve fazer-se acompanhar de exames recentes e da medicação que está a tomar.

Após a Consulta

Com o número de senha inicial irá ser chamado à secretaria para regularizar todos os documentos (requisições de exames, e/ou receitas), assim como nova marcação de consulta, quando necessário.


Serviço de Ortopedia
Director

Dr. João Jesus Henriques

Enfermeiro Responsável

Enf. Luís Miguel Dias Gonçalves

Contactos

Email: ortopedia@ulscb.min-saude.pt

Horário de Visitas

Visitas dentro do horário regulamentado para o Hospital

3º piso


Profissionais Serviços Clínicos
Área Médica Hospitalar:
Diretora do Serviço de Medicina Interna: Dra. Maria Eugénia Monteiro André
Diretor do Serviço de Nefrologia: Dr. Ernesto Fernandes Rocha
Diretor do Serviço de Cardiologia: Dra. Gisela Ana Paula Bragança
Diretor do Serviço de Gastrenterologia:  Dr. António José Duarte Banhudo
Diretora do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental: Dra. Maria Antónia Batista Pinto Bandeira Mateus Zamora
Diretor do Serviço de Dermatologia: Dr. Francisco Saraiva Gil
Diretora do Serviço de Neurologia: Dra. Amélia Maria Mendes Carvalho Guilherme
Diretor do Serviço de Pneumologia: Dr. Gonçalo Carvalho Salvado
Diretora do Serviço de Medicina Paliativa: Dra. Isabel Maria Duque Gonçalves Martins
Diretor do Serviço de Imunoalergologia: Dr. Carlos Lozoya Ibánez
Diretor do Serviço de Reumatologia: Dr. Pedro Miguel Martins Azevedo Abreu
Diretora do Serviço de Endocrinologia: Dra. Cátia Margarida Dias Ferrinho
 Área Cirúrgica Hospitalar:
Diretora do Serviço de Cirurgia Geral: Dra. Aida Maria Guerreiro Paulino
Diretor do Serviço de Ortopedia: Dr. João Jesus Henriques
Diretor do Serviço de Urologia: Dr. Alberto Benjamim
Diretor do Serviço de Oftalmologia: Dr. Sérgio Silva Brito
Diretora do Serviço de ORL: Dra. Natércia Martins Silvestre
Diretor do Serviço de Anestesiologia: Dra. Alexandra Fonseca Amaral
Diretora do Serviço de Estomatologia: Dra. Ana Carla Morais Rogado Serra
 Área de Urgência e Intensivismo:
Diretor do Serviço de Urgência/VMER: Dr. João António Pinheiro Dias Freixo
Diretor do SDAV: Maria Eugénia André
Diretor da Unidade de Cuidados Intensivos: Dr. João Manuel Ferreira Gabriel
Área da Mulher, Criança e Adolescente:
Diretora do Serviço de Pediatria: Dra. Almerinda Forte Alves Silva
Diretor do Serviço de Ginecologia/ Obstetrícia – Dr. Humberto Maurício Batista Tomé
Área de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica:
Diretora do Serviço de Patologia Clínica: Dra. Sandra Catarina Ressurreição Paulo
Diretora do Serviço de Medicina Física e Reabilitação: Dra. Guida Maria Duarte Vicente Barata
Responsável do Serviço de Imunohemoterapia: Dra. Maria Eugénia Monteiro André
Responsável do Serviço de Imagiologia: Dra. Maria Eugénia Monteiro André
Diretor do Bloco Operatório: Dr. Manuel Costa Mega
Diretor do Serviço de Consulta Externa: Dr. Carlos Lozoya Ibánez
Diretor do Internato Médico Hospitalar: Dr. Rui Raínho
Diretor do Internato Médico MGF: Dr. Júlio Almeida Ramos
Responsável da Unidade Integrada de Diabetes: Dra. Rosa Maria Santos Silva
Responsável da UAC/ Hospital Dia: Dra. Rita Maria Mira Franco Belico Velasco Resende
Responsável Serviço Social: Dr. António Vicente
Coordenadora da Equipa de Gestão de Altas – Enf. Maria Helena Beato dos Reis Alcéu
Coordenador dos Fisioterapeutas: Dr. António Vasco Tomás Santos Eusébio
Coordenadora dos Técnicos de Cardiopneumologia: Dra. Valéria Cristina Brito Ramos
Coordenador dos Técnicos de Imagiologia: Dr. Raul Manuel Salavessa Fontes
Coordenadora do Serviço de Psicologia Clínica – Dra. Patrícia Carla Lucas Gaspar Bernardo
Coordenadora de TSDT de Terapia da Fala – Dra. Tânia Patrício Costa Dias
Coordenadora dos Técnicos da Área das Análises Clínicas: Dra. Patrícia Cardoso Vaz Fernandes
Coordenador dos Técnicos de Farmácia: Dr. Jorge Vasco Martina de Azevedo Moura

Cuidados de Saúde Hospitalares

SERVIÇOS DE SAÚDE DIFERENCIADOS

  • Consulta Externa
  • Urgência e Emergência Médica
  • Bloco Operatório
  • Cirurgia de Ambulatório
  • Internamento – Hospital de Dia
  • Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica
  • Serviço Domiciliário

DEPARTAMENTOS DE  SAÚDE HOSPITALARES

Serviço de Medicina Interna
  • Unidade de AVC
  • Unidade Integrada de Diabetologia
Serviço de Cardiologia
  • Unidade de Técnicas de Cardiologia
Serviço de Nefrologia
  • Unidade de Hemodiálise Periférica
Serviço de Gastrenterologia
  • Unidade de Técnicas de Gastrenterologia
Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental
  • Unidade  de Psicologia
Serviço de Neurologia
Serviço de Pneumologia
Serviço de Dermatologia
Unidade de Medicina Paliativa
Unidade de Reumatologia
Unidade de Endocrinologia
Unidade de Imonualergologia

 Departamento de Cirurgia

  • Serviço de Cirurgia Geral
  • Serviço de Ortopedia
  • Serviço de Oftalmologia
    • Unidade de Técnicas de Oftalmologia
  • Serviço de Otorrinolaringologia
    • Unidade de Técnicas de Audiologia
  • Serviço de Urologia
    • Unidade  de Técnicas de Litíase Renal
  • Bloco Operatório
    • Bloco  Central
    • Bloco de Ambulatório
  • Unidade de Estomatologia
  • Serviço de Anestesiologia e Reanimação
    • Unidade de Dor

 Departamento da Mulher, Criança e Jovem

  • Serviço de Ginecologia/Obstetrícia
  • Serviço de Pediatria/Neonatologia
    • Unidade de Desenvolvimento

 Departamento de Emergência e Medicina Intensiva

  • Serviço de Urgência Médico Cirúrgica
  • Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP)
  • Unidade de Doentes Agudos Via Verde (UDAV)

Departamento de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica

  • Serviço de Medicina Física e Reabilitação
  • Serviço de Imagiologia
  • Serviço de Patologia Clínica
  • Serviço de Imunohemoterapia
  • Unidade de Anatomia Patológica

Departamento de Ambulatório

  • Unidade de Consulta Externa
  • Hospital de Dia Central
    • Unidade de Oncologia Médica