Início
/
Serviços
/
Comissões Internas

Comissões Internas

Comissão de Aleitamento Materno

A Comissão de Aleitamento Materno da ULSCB, é um órgão de apoio técnico da ULS, dotado de autonomia técnica e que tem por atribuição contribuir para a Proteção, Promoção e Apoio ao Aleitamento, nomeada conforme a Circular Informativa N.º 86, de 24 de agosto de 2023, por despacho do Conselho de Administração.

É composta por profissionais de saúde da área de saúde materna / infantil da ULSCB, tem na sua estrutura a representação de todos os serviços no âmbito dos cuidados de saúde hospitalares e dos cuidados de saúde primários. Desejamos assegurar e procurar dar passos de modo a que todas as instituições que prestam serviços nestas áreas, pratiquem plenamente e a totalidade da Declaração dos «Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno»:

  1. Ter uma política de aleitamento materno escrita e afixada que seja rotineiramente transmitida a toda a equipa de cuidados de saúde;
  2. Formar toda a equipa capacitando-a para a implementação da norma;
  3. Informar todas as grávidas sobre as vantagens e a prática do aleitamento materno;
  4. Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira hora após o nascimento do bebé;
  5. Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação mesmo que tenham de ser separadas dos filhos temporariamente;
  6. Não oferecer aos recém-nascidos bebidas ou alimentos que não sejam o leite materno, a não ser que exista indicação médica;
  7. Permitir que as mães e bebés permaneçam juntos 24 horas por dia;
  8. Incentivar o aleitamento materno a pedido;
  9. Não oferecer tetinas ou chupetas às crianças amamentadas;
  10. Encorajar a criação de grupos de apoio ao aleitamento materno encaminhando as mães para estes, após a alta do hospital ou maternidade.

(No âmbito da Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés, iniciativa da Organização Mundial da Saúde / UNICEF)

Direção da Comissão

  • Presidente – Enf. Luís Bento
  • Vice-Presidente – Dra. Ana Gabriela Almeida

Comissão Executiva

  • Direção – Enf. Luís Bento / Dra. Ana Gabriela Almeida
  • Área Hospitalar – Dr. Humberto Tomé / Enf. Mónica Belo
  • Área Cuidados de Saúde Primários – Dr. José Pires / Enf. Iria Fernandes

Comissão Alargada

Área Hospitalar

  • Enf. Luísa Maria de Deus
  • Enf. Sofia Corrente
  • Enf. Maria Celeste Nunes
  • Enf. Liliana Afonso
  • Enf. Maria Teresa Pinheiro
  • Enf. Umbelina Lourenço
  • Enf. Elda Riscado

Área Cuidados de saúde Primários

  • Enf. Barbara Rebelo
  • Enf. Maria Rosa Quaresma
  • Enf. Ana Catarina Alberto

Contatos – cam@ulscb.min-saude.pt

Folhetos:

Links úteis:

Comissão de Coordenação Clínica

À Comissão de Coordenação Clínica compete:

Promover uma integração adequada da actividade médica;
Propor orientações clínicas relativas à prescrição de medicamentos e meios complementares de diagnóstico e terapêutica, bem como os protocolos clínicos adequados às patologias mais frequentes.

Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos - CCDOT

A MISSÃO

A CCDOT tem como objetivo principal a promoção da doação altruísta, com consequente contributo de órgãos e tecidos para transplante.

A sua missão centra-se na identificação, referenciação e manutenção do potencial dador de órgãos e tecidos, respeitando valores fundamentais como o altruísmo, a ética, a humanização, a transparência, a equidade e a centralidade do doente, focalizados na competência técnica e científica, no valor intrínseco da vida e no interesse público.

A ORGÂNICA DA CCDOT

Respeitando a legislação e as orientações superiores da tutela, a CCDOT tem, na figura do Coordenador Hospitalar, o seu principal representante e responsável máximo, em todos os momentos relacionados com a doação de órgãos e tecidos, formação de profissionais e programas de melhoria continua da qualidade.

A Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos (CCDOT)UCIP: 2200Email; ccdot@ulscb.min-saude.pt

Coordenadora Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos

Dra. Nulita Lourenço – UCIP: 2200 – Telm: 962 448 267

Email: nulitalourenco@gmail.com

Em caso de ausência/não disponibilidade

Responsável: médico de escala à UCIP

UCIP: 2200

Enfermeiro Coordenador Hospitalar de Doação de Orgãos e Tecidos

POTENCIAL DADOR: O QUE FAZER

O diagnóstico de um doente com uma lesão catastrófica do cérebro e um Glasgow ≤5, deverá ser obrigatoriamente comunicada à Coordenação da CCDOT, através dos contatos referenciados, incluindo o registo do doente no formulário online, disponível na intranet da ULSCB, separador: “Médico Hospitalar” – “Referenciação Doação de Órgãos”. Também está disponível para consulta na página da Comissão de Coordenação da Doação de Órgãos e Tecidos, separadores “Protocolos” e “Formulários” toda a documentação de apoio à prática clínica.

LINK’S ÚTEIS

Está disponível na página do IPST, para consulta e impressão, variada documentação e legislação sobre Doação e Transplantação de Órgãos e Tecidos:

Página da Coordenação Nacional: http://ipst.pt/index.php/cnt

Página sobre Legislação: http://ipst.pt/index.php/informacao-documentacao/id-legislacao/leg-nacional?showall=&start=2

Comissão de Coordenação Oncológica

À Comissão de Coordenação Oncológica compete:

Organizar as consultas de grupo multidisciplinares, com o objectivo de analisar e definir a estratégia de diagnóstico e terapêutica relativa a casos clínicos oncológicos, estabelecendo normas para o seu funcionamento;
Promover a referenciação entre cuidados de saúde primário, hospitalares e paliativos;
Aprovar protocolos de actuação diagnóstica e terapêutica dos diversos tipos de doença oncológica;
Emitir parecer sobre a estrutura e protocolos da ULS, no âmbito da oncologia;
Garantir a actualização da informação no registo oncológico nacional;
Promover a organização de campanhas de prevenção e rastreio do cancro.

A Comissão de Coordenação Oncológica rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

 

Comissão de Ética

A Comissão de Ética da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) é um órgão consultivo, de apoio técnico ao Conselho de Administração, multidisciplinar e independente, cuja atividade se rege de acordo com o previsto pelas disposições legais decorrentes do Decreto-Lei n.º 97/95 de 10 de Maio, em observância do disposto na Lei n.º 46/2004 de 19 de agosto, referente aos ensaios clínicos de medicamentos de uso humano, e do disposto no Decreto-Lei n.º 102/2007, de 2 de Abril, referente aos princípios das boas práticas clínicas no que respeita aos medicamentos experimentais para uso humano..

Atribuições

  • Promover a divulgação dos princípios gerais da bioética pelos meios julgados adequados, designadamente através de estudos, pareceres, conferências no âmbito dos profissionais de saúde da ULSCB ou de outras Instituições.
  • Emitir pareceres sobre questões éticas e bioéticas no domínio de atividade da ULSCB.
  • Zelar pela observância de padrões de ética que devem ser respeitados no exercício das ciências médicas, por forma a proteger e garantir o respeito pela dignidade e integridade da pessoa humana e seus direitos fundamentais. Para tal, deve proceder à análise e reflexão sobre temas da prestação de cuidados de saúde que envolvem questões de ética e bioética.
  • Pronunciar-se sobre os protocolos de investigação científica celebrados no âmbito da ULSCB, nomeadamente os que se refiram a ensaios de diagnóstico ou terapêutica e técnicas experimentais que envolvam seres humanos e seus produtos biológicos.
  • Articular-se com Comissões de Ética de outras Instituições no sentido da complementaridade do conhecimento, comunicação, formação e discussão de assuntos éticos prementes e/ou atuais.

No exercício das suas funções, a Comissão de Ética atua com total independência relativamente aos órgãos de gestão e Conselho de Administração da ULSCB.

Composição

A Comissão de Ética tem uma composição multidisciplinar, cujos membros podem ou não exercer a sua atividade profissional na Unidade Local de Saúde de Castelo Branco. Poderá, também recorrer à colaboração de outros técnicos ou peritos exteriores sempre que o considere necessário.

Equipa

  • Presidente: Dr.ª Isabel Maria Duque Gonçalves Martins
  • Vice-Presidente: Dra. Maria Rita Fernandes Martins Gardete
  • Dr. João Manuel Ferreira Gabriel
  • Dr. Mário Domingos Carreira Carrachás
  • Professora Isabel Maria de Sousa Lourenço
  • Dr. Miguel Eugénio Cardoso Resende
  • Enf. Antonieta Maria Lopes Martins Santos
  • Fisioterapeuta António Vasco Tomás Eusébio
  • Padre Nuno Miguel Barradas Tavares Folgado

Comissão de Farmácia e Terapêutica

Compete à Comissão de Farmácia e Terapêutica:

  • Atuar como órgão de ligação entre os Serviços e Unidades Funcionais de prestação de cuidados e o Serviço Farmacêutico;
  • Elaborar as adendas privativas de aditamento ou exclusão ao Formulário Hospitalar Nacional de Medicamentos;
  • Emitir pareceres e relatórios, acerca de todos os medicamentos a incluir ou a excluir no Formulário Hospitalar Nacional de Medicamentos, que serão enviados trimestralmente ao INFARMED;
  • Velar pelo cumprimento do Formulário Hospitalar Nacional de Medicamentos e suas adendas;
  • Pronunciar-se sobre a correção da terapêutica prescrita aos doentes, quando solicitado pelo seu Presidente e sem quebra das normas deontológicas;
  • Apreciar com cada Serviço ou Unidade de prestação de cuidados os custos da terapêutica que periodicamente lhe são submetidas, após emissão de parecer obrigatório pelo Diretor do Serviço Farmacêutico;
  • Elaborar, observando parecer de custos, a emitir pelo Diretor do Serviço Farmacêutico, a lista de medicamentos de urgência que devem existir nos Serviços ou Unidades Funcionais de prestação de cuidados;
  • Propor o que tiver por conveniente dentro das matérias da sua competência.

A Comissão de Farmácia e Terapêutica rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Declarações de Inexistência de Incompatibilidades da Comissão de Farmácia e Terapêutica

Comissão de Humanização

A humanização em saúde significa respeito, conforto e centra a prestação de cuidados de saúde nas pessoas – utentes, familiares/cuidadores e profissionais de saúde – boas práticas quotidianas das instituições de saúde.

Tem por objetivo implementar projetos dedicados ao reforço da humanização e que se centrem nas pessoas, garantam o bom relacionamento interpessoal e interprofissional e o respeito por valores humanos.

Constituição da Comissão de Humanização da ULSCB, EPE:

  • Carlos Almeida – Vogal Executivo e Enfermeiro Diretor do Conselho de Administração
  • Ana Paula Roque – Farmacêutica
  • António Vicente – Técnico Superior de Serviço Social
  • Cláudia Sanches – Medicina Geral e Familiar
  • João Carlos Oliveira – Administrador Hospitalar – Área Gestão de Doentes
  • João Roque – Enfermeiro Especialista de Saúde Mental e Psiquiatria
  • José Valdemar – Comissão da Qualidade e da Segurança do Doente
  • Leonel Grencho – Enfermeiro dos Cuidados Hospitalares
  • Nuno Folgado – Sacerdote da Capelania Hospitalar
  • Sara Sintra – Assistente Medicina Interna
  • Valentina Gonçalves – Enfermeira dos Cuidados Saúde Primários

Contacto: comissão.humanizacao@ulscb.min-saude.pt

A Comissão de Humanização rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Documentos:

Comissão de Prevenção e Tratamento de Feridas

As Feridas Agudas são feridas de fácil resolução se não se desviarem do processo de cicatrização fisiológico, pelo que, não justificam regulamentação em especial.

As Feridas Crónicas atualmente designadas por feridas de difícil cicatrização são lesões com perda total da espessura da pele e que não cicatrizam após 4-6 semanas com terapêutica corretamente dirigida. Neste âmbito inserimos as ostomias pela sua cronicidade e continuidade de cuidados que implicam. Ambas são uma importante causa de morbilidade com implicações negativas na qualidade de vida do doente e família, associadas a elevados custos para os sistemas de saúde em todo o mundo. Pela sua elevada complexidade e pela dificuldade muitas vezes sentida pelas equipas de cuidados na abordagem a este tipo de utentes, foi criada a presente Comissão de Prevenção e Tratamento de Feridas (CPTF).

O que é a CPTFeridas?
Trata-se de um Grupo institucional da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) que dedica a sua atenção à prevenção e tratamento de Feridas de difícil cicatrização e cuidados aos doentes ostomizados.

Objetivos:
– Implementar normas de procedimento de modo a uniformizar, a prevenção e tratamento de Feridas na ULSCB;
– Promover a formação dos prestadores de cuidados na prevenção e tratamento de Feridas de difícil cicatrização;
– Implementar sistemas de avaliação do risco de aparecimento de Feridas de difícil cicatrização;
– Elaborar guias de boas práticas, de modo a uniformizar procedimentos e reduzir custos na perspetiva da continuidade de cuidados atendendo às guidelines mais recentes;
– Implementar um sistema de avaliação sistemática das Feridas de difícil cicatrização no âmbito de todas as Unidades de Prestação de Cuidados;
–  Divulgar estado da arte no tratamento e prevenção da ferida crónica, em colaboração com os serviços farmacêuticos, permitindo a padronização dos novos apósitos;
–  Promover a investigação clínica e epidemiológica relacionada com a prevenção e tratamento de Feridas de difícil cicatrização.

Equipa:
Presidente da Comissão – Dra. Aida Paulino (Serviço de Cirurgia Geral).

Membros
Enfª Isabel Costa (Serviço de Cirurgia Geral)
Enfª Teresa Silva (Serviço de  Ortopedia)
Enfª Otília Courela (Serviço de Consulta Externa)
Enfª Alexandra Alves (Serviço de Consulta Externa)
Enfª Ana Monteiro (Serviço de Cirurgia Geral)
Enfª Maria Conceição Pires (UCSP Alcains)
Dra. Sara Correia (Serviço de Cirurgia Geral)
Dra. Maria Carmo Gonçalves (Serviço de Farmácia)
Dra. Maria José Camba (Serviço de Farmácia)

Contacto:
cptferidas@ulscb.min-saude.pt
Documentos:
Regulamento Interno

Comissão de Qualidade e Segurança do Doente

É um órgão de apoio técnico ao Conselho de Administração, constituída por uma equipa multidisciplinar, oriunda de vários sectores da ULS, tendo como objectivo a promoção da qualidade e a gestão do risco, na a vertente do risco clínico, e na do risco geral, visando sempre a segurança do doente, a quem se devem prestar os necessários cuidados de saúde, de forma integrada.

A Comissão de Qualidade e Segurança do Doente rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

Constituição da Comissão:

  • Dra. Maria Eugénia Monteiro André – PRESIDENTE
  • Dr. Manuel Lourenço Nunes
  • Eng. Andreia Cristina Minhós Barata Gil
  • Dra. Sandra Isabel Silva Queimado
  • Dra. Maria Lurdes Teixeira Pires Mota
  • Eng. Bruno Roberto Pires Carrulo
  • Dra. Mariana Teresa Cheira Martins
  • Dra. Maria Margarida Lemos Viana Esteves Mendes Santos
  • Eng. António Manuel dos Santos Alves
  • Arq. João José Jorge Pires
  • Eng. Pedro Jorge Inglês Anjos
  • Dra. Marta Fazendeiro
  • Enf. Maria Lourdes Lourenço reis
  • Enf. José Valdemar silva Rodrigues
  • Enf. Leonel Martins Grencho
  • Enf. Nelson Serrano Antunes
  • Enf. Fernanda Maria Ribeiro João Silva Paisana
  • Enf. Marta Maria Lourenço Pinheiro Macedo

Comissão de Saúde Materna, da Criança e do Adolescente

A Comissão da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente tem por objectivo promover a prestação de cuidados de saúde materna e neonatal e de saúde da criança e do adolescente.

A Comissão da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente é composta por duas subunidades:

Saúde Materna e Neonatal
Saúde da Criança e do Adolescente.

À Comissão da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente compete:

Fazer um levantamento regular das necessidades;
Promover a cooperação entre profissionais e a articulação de serviços;
Fomentar a celebração e implementação de protocolos;
Impulsionar a monitorização e avaliação de indicadores;
Colaborar com o Conselho de Administração na resolução de problemas;
Promover a investigação, formação e ensino da respectiva área;
Fomentar a utilização e preenchimento sistemáticos dos suportes de comunicação.

A Comissão rege-se pelo previsto no seu regulamento interno.

Comissão de Transfusão Hospitalar

Objetivos da Comissão de Transfusão Hospitalar:

  • Promover a formação e divulgação de informação relacionada com o processo transfusional
  • Revisão e atualização da documentação hospitalar relativa à transfusão
  • Regulamentação da atividade transfusional
  • Garantir a notificação ao Sistema Português de Hemovigilância das reações adversas relacionadas com o processo transfusional
  • Garantir a análise de incidentes relacionados com o processo transfusional
  • Promover a implementação de um protocolo de Patient Blood Management (Gestão de Sangue do Doente)

Comissão de Trauma

A Comissão de Trauma da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, foi criada em 19 de julho de 2021, conforme Circular Informativa N.º 57, por despacho do Conselho de Administração da ULSCB, EPE.

Comissão Local de Informatização Clínica

Comissão Paritária

A Comissão Paritária rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu regulamento interno.

 

Direção de Enfermagem

A Direção de Enfermagem prosseguirá as atribuições de apoio à definição das políticas da ULSCB, EPE e prestação de cuidados de enfermagem.

Equipa de Prevenção de Violência em Adultos

Equipa de Gestão de Altas dos utentes do Serviço de Psiquiatria:

  • Dra. Maria Antónia Mateus Zamora
  • Dra. Catarina Oliveira
  • Enf. João Manuel Antunes Marques Roque
  • Enf. Tânia Alexandra Santos Araújo
  • Dra. Rita Cardoso Sousa

EPVA Hospitalar:

  • Dra. Patrícia  Bernardo – Coordenadora
  • Dra. Vânia Gonçalves
  • Dra. Catarina Oliveira
  • Enf. Cláudia Vicente
  • Enf. Tânia Araújo
  • Enf. Filipa Carvalho
  • Enf. Marco Correia
  • Dra. Rita Sousa

Email:

epva.hospitalar@ulscb.min-saude.pt

Folhetos Informativos:

Núcleo de Enfermagem de Saúde Infantil e Pediatria - NESIP

O Núcleo de Enfermagem Saúde Infantil e Pediatria surge com o objectivo de prestar cuidados de enfermagem de qualidade à criança e jovem/família procurando optimizar comportamentos que permitam o crescimento e desenvolvimento saudável. Procura-se assim,  optimizar o enriquecimento da especialização em Saúde Infantil e Pediatria reunindo esforços para desenvolver cuidados de Enfermagem de qualidade à criança e adolescente/família  na área de abrangência da ULSCB.
O NESIP é constituído por enfermeiros da ULSCB detentores do titulo de Enfermeiro Especialista em Saúde Infantil e Pediatria pela Ordem dos Enfermeiros.

Grupo Coordenador do NESIP para o triénio 2020-2023
Cláudia Roque- Enfª Especialista ESIP na Pediatria
Maria Jesus  Fradique- Enfª Especialista ESIP coordenadora urgência pediátrica
Natalina Cardoso- Enfª especialista ESIP Obstetrícia

Contacto institucional
nesip@ulscb.min-saude.pt
Documentos:
Regulamento Interno da NESIP

Núcleo de Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica - NESMO

O Núcleo de Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica tem como objetivo geral contribuir para a melhoria efetiva da prática de enfermagem especializada adaptada aos novos paradigmas do cuidado e do nascimento, às diretivas internacionais de boas práticas e às reais necessidades da mulher inserida na família e na comunidade.

Contatos: nesmo@ulscb.min-saude.pt

Constituição
O NESMO é constituído por enfermeiros da ULSCB, detentores do título de Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica, pela Ordem dos Enfermeiros.

Missão
Emoldurada na missão da ULSCB, a missão do NESMO traduz-se na procura da excelência nos padrões de qualidade dos cuidados de enfermagem prestados, assegurando o desenvolvimento profissional dos enfermeiros ESMO e, consequentemente, garantindo cuidados sensíveis às necessidades de saúde das mulheres, famílias e comunidade, evidenciando ganhos em saúde e satisfação das pessoas.

Objetivo Geral
O NESMO tem como objetivo geral contribuir para a melhoria efetiva da prática de enfermagem especializada adaptada aos novos paradigmas do cuidado e do nascimento, às diretivas internacionais de boas práticas e às reais necessidades da mulher inserida na família e na comunidade.

Grupo Coordenador do NESMO

  • Angela Trindade, Enfermeira especialista no serviço de Obstetrícia e Ginecologia e responsável pela Coordenação da Formação Contínua de Enfermeiros
  • Carla Sequeira, Enfermeira especialista no serviço de Obstetrícia e Ginecologia e dinamizadora dos Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem (PQCE)
  • Cláudia Nisa, Enfermeira especialista no serviço de Obstetrícia e Ginecologia e dinamizadora do Sistema de Informação em Enfermagem (SIE)
  • Sofia Belo, Enfermeira especialista no serviço de Obstetrícia e Ginecologia e  elo de ligação ao grupo coordenador local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e Resistência aos Antimicrobianos (PPCIRA)

Documentos:

Regulamento Interno do NESMO

Núcleo de Enfermagem Médico - Cirúrgica

O Núcleo de Enfermagem Médico-Cirúrgica (NEMC) é uma iniciativa da ULSCB cujo principal objetivo é a otimização do conhecimento/prestação do cuidado nas diferentes áreas de especialização da Enfermagem Médico-Cirúrgica (pessoa em situação crítica, pessoa em situação paliativa, pessoa em situação peri-operatória e pessoa em situação crónica) ao utente da ULSCB na sua forma holística, através da partilha de boas práticas, atividades de formação científica e investigação na ULSCB.

O NEMC é constituído por enfermeiros da ULSCB, detentores do título de Enfermeiro Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica, pela Ordem dos Enfermeiros.

Grupo Coordenador NEMC para o triénio 2023 – 2025:

  • João Manuel Fernandes Antunes – Enfermeiro (UCIP)
  • Luís Miguel Correia Gonçalves – Enfermeiro (Bloco Operatório / VMER)
  • Paula Cristina Martins Deus Mendes – Enfermeira Especialista (Serviço de Urgência /VMER)

Contacto institucional do NEMC: nemc@ulscb.min-saude.pt

PAPVSS

PAPVSS – Plano de Ação da Prevenção da Violência da Saúde

O Plano de Ação para a Prevenção da Violência no Setor da Saúde (PAPVSS) e a criação dos pontos de contato tem como finalidade agilizar o desenvolvimento e a implementação de medidas de segurança essenciais para a respetiva prevenção da violência junto dos profissionais de saúde.

Pontos Focais do HAL

  • Patrícia Carla Lucas Gaspar Bernardo – Técnica Superior de Saúde Assistente Principal de Psicologia Clínica e Coordenadora do Serviço de Psicologia Clínica
  • Tânia Alexandra dos Santos – Enfermeira Especialista em Saúde Mental e Psiquiátrica; Serviço de Psiquiatria

Pontos Focais ACES BIS

  • Luís Nuno Marques Mendes -Técnico Superior de Saúde Assistente Psicologia Clínica; Serviço de Psicologia Clínica

Ponto Focal ACES PIS

  • Cláudia Catarina Almeida Mota Martins Dias -Técnica Superior de Saúde Assistente Psicologia Clínica

Elementos do GOI – Grupo Operacional Institucional

  • Patrícia Carla Lucas Gaspar Bernardo – Técnica Superior de Saúde Assistente Principal de Psicologia Clínica e Coordenadora do Serviço de Psicologia Clínica
  • Tânia Alexandra dos Santos – Enfermeira Especialista em Saúde Mental e Psiquiátrica; Serviço de Psiquiatria
  • Luís Nuno Marques Mendes – Técnico Superior de Saúde Assistente Psicologia Clínica; Serviço de Psicologia Clínica
  • Cláudia Catarina Almeida Mota Martins Dias – Técnica Superior de Saúde Assistente Psicologia Clínica
  • António Manuel dos Santos Alves – Técnico Superior de Segurança e Higiene / Responsável da USHRG/Delegado de Segurança
  • João José Jorge Pires – Técnico Superior de Segurança e Higiene
  • Alexandra Sofia Lourenço Rodrigues – Enfermeira Especialista em Saúde Comunitária – Consulta Externa e Medicina do Trabalho
  • Sandra Isabel Salavessa Nunes – Assistente Técnica do Gabinete do Cidadão
  • Andreia Cristina Minhós Barata Gil – Responsável do Gabinete de Comunicação e Imagem / Gestora do Gabinete da Qualidade

O GOI prossegue as seguintes competências principais:

  1. Monitorizar a implementação do Plano PAPVSS a nível institucional;
  2. Coordenar as intervenções relacionadas com a prevenção da violência e abordagem dos episódios de violência no Centro Hospitalar;
  3. Definir procedimentos e medidas apropriadas, reforçando a confiança dos profissionais;
  4. Articular com o Conselho Diretivo, com as unidades e serviços existentes;
  5. Apoiar os elementos dos Grupos Operativos Locais de cada unidade ou serviço;
  6. Monitorizar e analisar a violência de modo integrado no âmbito institucional;
  7. Identificar situações com elevado risco de violência a partir da informação disponível (ocorrências, registos, contactos, observações);
  8. Articular com o Conselho Diretivo, com as unidades e serviços existentes e com outras comissões ou estruturas do CHPL, designadamente, a Equipa de Prevenção da Violência em Adultos, criada no âmbito da Ação de Saúde sobre Género, Violência e Ciclo de Vida;
  9. Estruturar o plano Institucional da Violência contra os Profissionais de Saúde que privilegie, enquadre e apoie a assunção da política interna nos termos da Circular DGS 15/DSPCS de 7 abril 2006.

Folhetos Informativos:

Unidade Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos - UL_PPCIRA

Ao UL-PPCIRA compete promover a execução das estratégias consignadas no Programa Nacional de Controlo de Infecção (PNCI), designadamente implementar o Plano Operacional de Prevenção e Controlo de Infeção da ULS.

A Comissão rege-se pelas disposições legais em vigor e pelo seu Regulamento Interno.

Diretor Médico – Dra. Mariana Cheira Martins

Enfermeira com funções de Gestão – Enf. Maria Lourdes Reis

Contatos

Comissões Internas