Ir para o conteúdo
Início
/
Serviços

Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente

Diretor do Serviço – Dr. João Manuel Ferreira Gabriel
Chefe de Enfermagem – Enf. Fernando Duarte Martinho

Médicos Especialistas

  • Dr. João Frederico
  • Dra. Nulita Lourenço
  • Dr. Paulo Costa

Enfermeiros com Especialidade

  • Enf. Fernando Micaelo
  • Enf. João Valente
  • Enf. Nelson Antunes
  • Enfª. Olinda Gonçalves
  • Enf. Rui Macedo
  • Enf. Roberto Mendes
  • Enfª. Vânia Ramos

Enfermeiros

  • Enf. Alfredo Lourenço
  • Enfª. Amália Rossa
  • Enfª. Célia Caetano
  • Enf. Domingos Belo
  • Enfª. Elsa Lopes
  • Enfª. Eugénia Cabaço
  • Enfª. Eugénia Dias
  • Enf. Jaime Matos
  • Enf. João Sequeira
  • Enfª. Laura Pedro
  • Enfª. Manuela Moleiro
  • Enfª. Paula Martins
  • Enfª. Ricardina Coelho
  • Enfª. Sandrina Duarte

Secretariado Administrativo – Eloísa Luís

Assistentes Operacionais

  • Ana Ferreira
  • Celeste Afonso
  • Céu Dias
  • Fernanda Passarinho
  • Idalina Calmeiro
  • Rosa Santos
  • Sandra Crespo

HORÁRIO FUNCIONAMENTO

Secretariado Dias úteis das 9.00h às 16.00h

Horário de Visitas

  • Das 15.00h às 16.00h
  • Das 19.00h às 20.00h
  • Máximo 4 visitas por doente (um de cada vez)

Contactos

Atividade Clínica

  • Internamento
    • Visita Médica diária aos doentes às 08.30
    • Atendimento de familiares dos doentes às 15.00h
  • Regime de Funcionamento
    • Todos os Médicos do Serviço trabalham em regime de exclusividade e jornada contínua, cumprindo uma média de 12 horas de trabalho diário.
    • Os Médicos cumprem ainda, de forma rotativa, períodos noturnos e fins de semana em presença física.

Carteira de serviços A Unidade difunde a sua carteira de serviços internamente, possui as seguintes valências de Cuidados Intensivos Tipo II:

  • Emergências Cardiorespiratórias
  • Vias Verdes AVC’s, Sepsis, EAM
  • Intoxicações
  • Pós-operatórios
  • Politraumatizados
  • Doenças degenerativas dos sistema neuromuscular
  • Equipa de Emergência Médica Intra-Hospitalar (EEMI), 24h/dia e os 7 dias da semana
  • Emergências metabólicas e neuroendócrinas
  • Anafilaxia e outras emergências imunológicas
  • Formação teórico-prática:
    • Cursos de Técnicas de Socorrismo a AO e Profissionais de Segurança e Alimentação
    • Curso de Suporte Avançado de Vida
    • Curso de Controlo de Infeção-cooperação com GCL-PPCIRA
    • Vigilância epidemiológica de doenças de comunicação obrigatória, gripe sazonal e infeções adquiridas em UCI

Outro Serviço importante é a formação na prática clínica aos cursos:

  • Licenciatura em Enfermagem alunos nacionais e de Erasmus
  • Especialização em Enfermagem
  • Mestrado Integrado em Medicina
  • Especialização em áreas de Medicina

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO
Programado na década de sessenta para substituir o então Hospital da Santa Casa da Misericórdia, o Hospital de Castelo Branco iniciou a sua construção em 1968 a qual foi concluída em 1975, e no dia 1 de Maio 1977 foi oficialmente inaugurado. O edifício principal do HAL é constituído por nove pisos, e a Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente encontra-se situada no 4º piso, um piso acima da Urgência, e no final de um corredor comum ao Bloco Operatório e ao serviço Central de Esterilização. A UCIP, encontra-se a funcionar desde janeiro de 1984. Inicialmente com cinco camas, reabriu em 19 de abril de 1998 após remodelação, com a lotação de oito camas, número que perdura até à presente data. Esta unidade recebe doentes provenientes do Distrito de Castelo Branco e não só, cujo estado é considerado crítico e portanto de alto risco, que podem subitamente apresentar falência grave das suas funções vitais, necessitando por isso de tratamentos complexos e de equipamentos de apoio de órgão (ventilação mecânica, hemodinâmica e diálise). Neste âmbito, permite a prestação de cuidados específicos e especializados quer médicos, quer de enfermagem.
A zona de cuidados propriamente dita, um espaço relativamente amplo, com temperatura e humidificação regulada e luz natural. Tem  a lotação de oito camas, distribuem-se numa sala em que o espaço de comunicação é comum e organizam-se em unidade aberta, sendo a área por unidade de doente de aproximadamente 25m2. Essas camas encontram-se ligadas a uma central de monitorização, sediada no Posto de Enfermagem, a qual faculta uma visualização direta e contínua de todos os doentes.

A vantagem e objetivo desta visualização direta é permitir uma vigilância mais ativa, sem perda de privacidade para o doente como a sua exposição a frequentes intervenções. A designação da UCIP foi alterada para Serviço de Medicina Intensiva (SMI) no regulamento interno de abril de 2014 da ULSCB. Está em projeto um quarto de isolamento para o espaço da unidade oito e uma saída de emergência para o espaço comum entre as camas quatro e cinco.
Todas as camas têm suporte ventilatório, monitorização invasiva e não invasiva. Todos os monitores do Serviço estão ligados a uma rede informática estruturada que permite acesso de qualquer ponto das instalações.Os registos clínicos do doente na UCIP são desde agosto de 2015 totalmente digitais. Os dados de ventilação e de manuseamento de fluidos também podem ser administrados na rede.


Partilhar:
risus. lectus Curabitur ut libero. Praesent ut odio mattis